FORMAÇÃO CONTINUADA SOBRE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO: ANÁLISE DA CONTRIBUIÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE

DOI:

https://doi.org/10.53628/emrede.v4.1.169

Palavras-chave:

Formação Continuada, Promoção da Saúde, Nutrição, Educação em Saúde, Educação a Distância.

Resumo

Este trabalho analisa a contribuição da educação continuada de um curso de educação a distância sobre alimentação e nutrição para professores da rede pública. Trata-se de um estudo longitudinal, quantitativo e qualitativo. Os testes aplicados foram: pré e pós (antes e após o curso) para avaliar a consolidação da aprendizagem, e follow up (dois anos depois) para avaliar a manutenção da aprendizagem. O follow up apresentou diminuição na média de acertos em relação ao pós teste. A formação continuada em nutrição e alimentação à distância para professores contribui para promoção da alimentação saudável no contexto escolar, colaborando para a saúde individual e coletiva e no reforço da importância da formação continuada dos professores como educadores promotores de saúde.

Referências

ALMEIDA, O.C.S. Evasão em curso à distância: validação de instrumentos, fatores influenciadores e cronologia da desistência. Universidade de Brasília. Brasília, 2007. Disponível em http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/3912/1/2007_OniliaCristinadeSouzadeAlmeida.pdf. Acesso em dezembro 2014.

ANDERSON, A.S.; PORTEOUS, L.E.G.; FOSTER, E.; HIGGINS, C.; STEAD, M.; HETHERINGTON, M.; HÁ, M-A.; ADAMSON, A.J. The impact of a school-based nutrition education intervention on dietary intake and cognitive and attitudinal variables relating to fruits and vegetables. Public Health Nutrition, v.8, n.6, p. 650–656, 2005.

ANDRADE, C.R. & CARDOSO, L.R. Educação Nutricional na escola: desafios nas aulas de ciências. IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade 2010; 22, 1-16. Disponível em: http://educonse.com.br/2010/eixo_05/E5-15.pdf. Acesso em agosto de 2015.

ARRISCADO, D.A.; MUROS, J.J.M.; ZABALA, D.M.; DALMAU, J.M.T. ¿Influye la promoción de la salud escolar en los hábitos de los alumnos? An Pediatr (Barc) 2015;83:11-18.

BATISTA FILHO M, RISSIN A. A transição nutricional no Brasil: tendências regionais e temporais. Cad Saúde Pública. 2003; 19(1):181-91.

BERDEN, H.J.; WILLEMS, F.F.; HENDRICK, J.M.; PIJLS, N.H.; KNAPE, J.T. How frequently should basic cardiopulmonary resuscitation training be repeated to maintain adequate skills? BMJ 1993; 306:1576-7. Erratum in: BMJ 1993; 307:706.

BIZZO, M.L.G.; LEDER, L. Educação Nutricional nos parâmetros curriculares nacionais para ensino fundamental. Rev. Nutr. PUCCAMP, v.18, n.5, p.661-667, 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde e Ministério da Educação. Portaria Interministerial N. 1.010/ 2006. Institui as diretrizes para a Promoção da Alimentação Saudável nas Escolas de educação infantil, fundamental e nível médio das redes públicas e privadas, em âmbito nacional. Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde e Organização Pan-Americana da Saúde. Escolas promotoras de saúde: experiências do Brasil. Brasília: Ministério da Saúde, Série Promoção da Saúde; n.6, 272 p. 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014. 156 p

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. – 3. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 2010.

BRASIL. Resolução/CD/FNDE no 38, de 16 de julho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Diário Oficial da União 2009; 17 jul.

BRAUN, V.; CLARKE, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative research in psychology. 2006, 3: 2, 77-101.

CHUNG CH & COLS. Comparing the efiectiveness of video self-instruction versus traditional classroom instruction targeted at cardiopulmonaryresuscitation skills for laypersons: a prospective randomised controlled trial. Hong Kong Med J 2010; 16(3), 165-70.

COLBY, S.E.; HALDEMAN, L. Peer-led Theater as a Nutrition Education Strategy J. Nutr. Educ. Behav, v.39, n.1, p.48-49, 2007.

COLL, C. ET AL. Os conteúdos na Reforma: Ensino e Aprendizagem de Conceitos, Procedimentos e Atitudes. Porto Alegre: Artes Médicas; 2000.

CUSTERS, E.J.F.M. Long-term retention of basic science knowledge: a review. Adv Health Sci Educ Theory Pract, 2010;15:109–28.

DAVANCO, G.M.; TADDEI, J.A.A.C.; GAGLIANONE, C.P. Conhecimentos, atitudes e práticas de professores de ciclo básico, expostos e não expostos a Curso de Educação Nutricional. Rev. Nutr., Campinas , v. 17, n. 2, p. 177-184, June 2004

DE ALMEIDA, M.E.B. Educação a distância no Brasil: diretrizes políticas, fundamentos e práticas. In 6 Congreso Iberoamericano, 4 Simposio Internacional de Informática Educativa, 7 Taller Internacional de Software Educativo [Archivo de ordenador]: IE-2002: Vigo, 20, 21, 22 de Novembro de 2002 (p. 102).

FELDENS, C.A.; VITOLO, M.R. Hábitos alimentares e saúde bucal na infância. In: Vitolo, M. R. Nutrição: da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Rubio, 2008. p. 201-213.

FONTES, P.G. O professor como influenciador de hábitos alimentares saudáveis na escola. 2011. 25 f. Monografia (Licenciatura em Ciências Naturais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2011. Disponível em: http://bdm.unb.br/handle/10483/3599?mode=full&submit_simple=Mostrar+item+em+formato+completo. Acesso em setembro de 2015.

FOSTER, G.D.; SHERMAN, S.; BORRADAILE, K.E.; GRUNDY, K.M.; VEUR, S.S.V.; NACHMANI, J.; KARPYN, A.; KUMANYIKA, S.; SHULTS, J. A Policy-Based School Intervention to Prevent Overweight and Obesity. Pediatrics, v.121, n.4, p.794-802, 2008.

GAGLIANONE, C.P.; TADDEI, J.A.A.C; COLUGNATI, F.A.B.; MAGALHÃES, C.G.; DAVANÇO, G.M.; MACEDO, L; LOPEZ, F.A. Nutrition education in public elementary schools of São Paulo, Brazil: the Reducing Risks of Illness and Death in Adulthood project. Rev. Nutr. PUCCAMP, v. 19, n. 3, p. 309-320, 2006.

HORNE, P.J.; TAPPER, K.; LOWEL, C.F.; HARDMAN, C.A.; JACKSON, M.C.; WOOLNER, J. Increasing children’s fruit and vegetable consumption: a peer-modelling and rewards-based intervention. European Journal of Clinical Nutrition, v.58, p.1649–1660, 2004.

IBGE - Pesquisa nacional de saúde: 2013 : ciclos de vida : Brasil e grandes regiões / Coordenação de Trabalho e Rendimento. - Rio de Janeiro : IBGE, 2015. 92 p. Disponível em http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94522.pdf . Acesso em agosto de 2015.

IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009. Antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pof/2008_2009_encaa/comentario.pdf. Acesso em agosto de 2015.

JUZWIAK, C.R.; CASTRO, P.M.D. & BATISTA, S.H.S.S. A experiência da Oficina Permanente de Educação Alimentar e em Saúde (OPEAS): formação de profissionais para a promoção da alimentação saudável nas escolas. Cien Saude Colet, 2013;18(4), 1009-1018.

LEVY, R.B.; ET AL. "Food consumption and eating behavior among brazilian adolescents: National Adolescent School-based Health Survey (PeNSE), 2009." Cienc Saúde Colet 2010; 15: 3085-3097.

LINDBERG, L.C.; STAHLE, A.; RYDÉN, L. Long-term influence of a health education programme on knowledge and health behaviour in children. European Journal of Cardiovascular Prevention and Rehabilitation., v.13, n.1, p91 -97. 2006.

MALTA DC, CEZÁRIO AC, MOURA L, MORAIS NETO OL, SILVA JUNIOR JB. A construção da vigilância e prevenção das doenças crônicas não transmissíveis no contexto do Sistema Único de Saúde. Epidemiol Serv Saúde 2006; 15:47-65.

MARCUZZO, M.M.V.; GUBIANI, J.S.; LOPES, L.F.D. A satisfação dos alunos de educação a distância em uma Instituição de Ensino Superior. 2015. Disponível em: http://www.cpd.ufsm.br/media/cms/paper/2015/03/26/Satisfa%C3%A7%C3%A3oAlunosEduca%C3%A7%C3%A3oDist%C3%A2nciaIES.pdf. Acesso em setembro de 2015.

MATHEUS, D.N; TRINDADE, C.S. Curso a distância sobre alimentação e nutrição para professores: Um espaço para compartilhamento e reflexão sobre a prática profissional. In: 32ª Semana Científica do Hospital de Clinicas de Porto Alegre, 2012, Porto Alegre. Revista HCPA (Online). Porto Alegre: Revista HCPA, 2012. v. 32. p. 172-173.

MATTOS,L.B.; DAHMER, A. MAGALHÃES, C.R. Contribuição do Curso de Especialização em Atenção Primária à Saúde à prática de profissionais da saúde. ABCS Health Sci. 2015; 40(3):184-189.

MINAYO MC. O desafio do conhecimento – Pesquisa qualitativa em saúde. 13ª ed. São Paulo: Hucitec, 2013.47 -Rodrigues LPF, Roncada MJ. Educação Nutricional no Brasil: evolução e descrição de proposta metodológica para escolas. Com. Ciências Saúde 2008;19(4):315-322.

MIRANDA, E.D.S. A influência da relação professor-aluno para o processo de ensino aprendizagem no contexto afetividade. In: 8º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA E 8ª MOSTRA DE PÓS- GRADUAÇÃO. 2008, Paraná. Anais. Paraná: FAFIUV, 2008. p.1-6. Disponível em: http://interacao.info/diversos/Marcia/2013%20-%201%20semestre/ARTIGOS-PEDAGOGIA.pdf. Acesso em agosto de 2015.

NAMBISAN P. Online Public Health Preparedness Training Programs: An Evaluation of User Experience with the Technological Environment. Online Journal of Public Health Informatics 2010; 2(3), ojphi.v2i3.3012. http://doi.org/10.5210/ojphi.v2i3.3012

PAVESI MAN, ALLIPRANDINI PMZ. Indicativos do perfil do aluno da educação a distância (EAD) e nível de aprendizagem autorregulada: uma análise descritiva. X ANPED Sul, Florianópolis, outubro de 2014. Disponível em: http://xanpedsul.faed.udesc.br/arq_pdf/506-0.pdf. Acesso em setembro de 2015.

RAMOS, F.P.; SANTOS, L.A.S.; REIS, A.B.C. Educação alimentar e nutricional em escolares: uma revisão de literatura. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 29(11):2147-2161, nov, 2013.

RAZUCK, R.C.S.R.; FONTES, P.G.; RAZUCK, F.B. A Influência do professor nos Hábitos Alimentares. VIII ENPEC – Encontro Nacional de Pesquisa em Educação e Ciência - São Paulo, Brazil, 2011. ISBN: 978-85-99681-022.

RODRIGUES LPF, RONCADA MJ. Educação Nutricional no Brasil: evolução e descrição de proposta metodológica para escolas. Com. Ciências Saúde 2008;19(4):315-322.

SCHNEIDER, S.A; RAUBER, F; TRINDADE, C.S. Atualização em Alimentação e Nutrição para Professores: Educação a Distância. VIII International Guide Conference and V Symposium on Education and Communication Universidade Tiradentes – Aracaju, Brazil - November 19-21, 2014 – ISSN: 2179/4901. Disponível em: http://www.guideassociation.org/8internationalconference_2014/files/VIII_GUIDE_Conference_Proceedings_web.pdf. Acesso em agosto de 2015.

SILVA AN, SANTOS AMG, CORTEZ EA, CORDEIRO BC. Limites e possibilidades do ensino à distância (EAD) na educação permanente em saúde: revisão integrativa. Ciênc Saúde Colet 2015; 20(4): 1099-1107.

SOARES ACF, LAZZARI ACM, FERDINANDI MN. Análise da importância dos conteúdos da disciplina de Educação Nutricional no ensino fundamental segundo professores de escolas públicas e privadas da cidade de Maringá–Paraná. Saúde e Pesquisa 2009; 2.2: 179-184.

SOWAN AK, LOUISE SJ. Designing, delivering and evaluating a distance learning nursing course responsive to students needs. International journal of medical informatics 2013; 82.6: 553-564.

WHO - Global status report on noncommunicable diseases 2010 - Description of the global burden of NCDs, their risk factors and determinants. Editora World Health Organization, April 2011. 176p. Disponível em: http://whqlibdoc.who.int/publications/2011/9789240686458_eng.pdf?ua=1. Acesso em 20 de agosto de 2015.

YOKOTA, R.T.C.; VASCONCELOS, T.F.; PINHEIRO, A.R.O.; SCHMITZ, B.A.S.; COITINHO, D.C.; RODRIGUES, M.L.C.F. Projeto “a escola promovendo hábitos alimentares saudáveis”: comparação de duas estratégias de Educação Nutricional no Distrito Federal, Brasil. Rev Nutr 2010; 23:37-47

Publicado

2017-10-14

Como Citar

FORMAÇÃO CONTINUADA SOBRE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO: ANÁLISE DA CONTRIBUIÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE. (2017). EmRede - Revista De Educação a Distância, 4(1), 174-190. https://doi.org/10.53628/emrede.v4.1.169