ENSINO HÍBRIDO (BLENDED LEARNING) POTENCIAL E DESAFIOS NO ENSINO SUPERIOR

Autores

  • Sandra Maria Leandro Centro Universitário Central Paulista
  • Elisete Marcia Côrrea Centro Universitário Central Paulista

Palavras-chave:

Ensino híbrido. Potencialidades de aprendizagem. Desafios pedagógicos.

Resumo

Esse artigo visa discutir os potenciais e desafios que impactam no uso do ensino híbrido no ensino superior. Para isso, buscou-se artigos científicos publicados entre 2012 e 2017 que fossem completos e que tivessem procedimentos de coleta de dados de pesquisa. Os resultados apontam que o ensino híbrido proporciona aos alunos aprendizagens mais dinâmicas. Como desafios, encontram-se a exigência de uma postura proativa do corpo discente, a necessidade de uma formação docente que o qualifique para o uso dos elementos pedagógicos e tecnológicos básicos da modalidade a distância, a necessidade de mudança na atuação pedagógica dos processos de ensino e aprendizagem e a escassez de documentos regulamentadores que tragam informações sobre a efetiva implantação do ensino híbrido nas IES.

Referências

ABED. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Censo EAD.BR: Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2015 = Censo EAD.BR. Curitiba: InterSaberes, 2016. Disponível em: <http://abed.org.br/arquivos/ Censo_EAD_2015_POR.pdf>. Acesso em: 07 jul. 2017.

BACICH, L.; MORAN, J. Aprender e ensinar com foco na educação híbrida. Revista Pátio, nº 25, junho, 2015, p. 45-47. Disponível em: <http://www2.eca.usp.br/moran/ wp-content/uploads/2015/07/hibrida.pdf>. Acesso em: 24 jun. 2017.

BOLLELA, V. R; CESARETTI, M. L. R. Sala de aula invertida na educação para as profissões de saúde: conceitos essenciais para a prática. Rev. Eletr. Farm., v. 14, n. 1, p. 39-48, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 4.059 de 10 de dezembro de 2004. Disponível em: <http://www.esab.edu.br/arquivos/pdf/por_2004_4059_MEC_pdf.>. Acesso em: 24 maio 2017.

CASTRO, E. A. et al. Ensino híbrido: desafio da contemporaneidade? Projeção e docência, v. 6, n. 2, p. 47-58, 2015.

FILIPE, A. J. M.; ORVALHO, J. G. Blended-Learning e Aprendizagem colaborativa no ensino superior. In: VII Congresso Iberoamericano de Informática Educativa. Anais...2008. Disponível em: http://www.ufrgs.br/niee/eventos/RIBIE/2004/ comunicacao/com216-225.pdf. Acesso em: 07 maio 2017.

FULTON, K. Upside down and inside out: Flip Your Classroom to Improve Student Learning. Learning & Leading with Technology, v. 39, n. 8, p. 12-17, 2012. Disponível em: <http://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ982840.pdf>. Acesso em: 05 jul. 2017.

GOUDOURISI, E; STRUCHINERI, M. Aprendizagem Híbrida na Educação Médica: uma Revisão Sistemática. Revista Brasileira de Educação Médica. v. 39, n. 4, p. 620 – 629, 2015.

LIMA, R. V. G. de; HOLANDA, M. J. de. Uma breve discussão sobre a metodologia da aula invertida: possibilidades e desafios. Revista Filosofia Capital, Brasília, DF. v. 11, ed. Esp., p. 99-111, 2016.

MORAN, J. M. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Papirus Editora, 2007.

SALVADOR-COLL, C. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

SANTOS, A. C. Z. F. Avaliação e desenvolvimento de ambiente virtual de aprendizagem no ensino da disciplina de Diagnóstico Oral por meio do blended learning. Revista da ABENO. v. 17, n. 2, p. 76-87, 2017.

SCORSOLINI-COMIN, F. Psicologia da educação e as tecnologias digitais de informação e comunicação. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP. v. 18, n. 3, p. 447-455, set./dez. 2014.

SILVA, A. J. de C.; MARTINS, R. X. Estudo sobre a adoção de blended learning na educação básica. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 24, n. 2, p. 6-23, maio/ago. 2016.

SILVA, M. R. C. da; MACIEL, C.; ALONSO, K. M. Hibridização do ensino nos cursos de graduação presenciais das universidades federais: uma análise da regulamentação. RBPAE, v. 33, n. 1, p. 095 - 117, jan./abr. 2017.

SILVA, P. C. D.; SHITSUKA, R.; PASCHOAL, P. A. G. Afetividade nas interações em AVA: um estudo sobre a interação na educação a distância. 2015. Disponível em: http://seer.abed.net.br/edicoes/2015/01_AFETIVIDADE_NAS_INTERACOES.pdf>. Acesso em: 22 ago. 2017.

SUHR, I., R., F., Desafios no uso da sala de aula invertida no ensino superior R. Transmutare, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 4-21, jan./jun. 2016.

TORI, R. Tecnologia e metodologia para uma educação sem distância. EMREDE. Revista Educação a Distância. v. 2. n. 2. p. 44-55, 2015.

VALENTE, J. A. Comunicação e a Educação baseada no uso das tecnologias digitais de informação e comunicação. Revista UNIFESO – Humanas e Sociais, v. 1, n. 1, p. 141-166, 2014a.

______. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba. Edição Especial n. 4/2014, p. 79-97, 2014b.

ZANOTTO, M. A. do C. Hibridização do ensino em uma IES: delineamento de ações pedagógicas para adoção de 20% a distância em cursos de graduação presenciais. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA.1. Anais... 2014. Disponível em: <http://www.siedenped2016.ead.ufscar.br/ojs/index.php/2014/article/view/ 742/0>. Acesso em: 01 jul. 2017.

Publicado

2018-11-05