Os Jovens como co-empreendedores e inovadores digitais sociais: investigação baseada no RRI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53628/emrede.v8i2.788

Palavras-chave:

Inovação Digital, Coempreender, Protagonismo estudantil

Resumo

O presente artigo visa investigar quais as correlações entre os princípios e as habilidades apresentadas na Pesquisa e Inovação Responsável (RRI) com as práticas desenvolvidas no Estado do Ceará para apoiar a ciência – com e para a sociedade. Este estudo de caso tem como objetivo caracterizar as relações entre as competências desenvolvidas, as atividades apresentadas no projeto Clube Estudantil e a base teórica tanto do RRI como das Competências Coempreendedoras. A opção metodológica é etnografia digital e análise temática das categorias: Matriz C (OKADA, 2014), Project Engaging (OKADA, 2016), Coempreender (SOUZA, 2018), as quais foram utilizadas para analisar as práticas  desenvolvidas pelos jovens. O estudo envolveu 50 jovens alunos de um curso do Clubes Estudantis[i], que participaram de uma ação formativa on-line num Ambiente Virtual da Secretaria de Educação do Estado do Ceará. A análise apresenta, numa perspectiva qualitativa, evidências vinculando teoria e prática, com base nos argumentos produzidos nos fóruns e nos projetos propostos. Com isso, no processo retórico, percebemos o uso de tecnologias móveis e ubíquas que se estabelecem em um processo criativo, mesmo diante da exclusão digital. Confirmamos a correlação das categorias no estudo teórico (OKADA, 2014; SOUZA, 2014; OKADA; SHERBORNE 2018) com os projetos dos jovens pesquisadores que buscam se conectar, criar, colaborar, cooperar, compartilhar – geração C5 (SOUZA, 2020). Assim, o estudo possibilitou algumas recomendações aos educadores para a promoção do pensamento científico e digital com abordagem RRI e no Coempreender.

Biografia do Autor

Karine Pinheiro de Souza, Secretaria de Educação do Estado do Ceará

Pós- doc em Ciências Socais, Políticas e do Território - Universidade de Aveiro, Doutora em Ciências da Educação, especialidade em Tecnologia Educativa - Universidade do Minho/Portugal. Mestra em Políticas Públicas e Planejamento - UECE, Especialização Gestão Escolar - UECE e Informática Educativa-UFRGS, graduação em Letras pela Universidade Estadual do Ceará. Foi professora substituta da Universidade Federal do Ceará - UFC. Coordenou o Projeto Agentes Digitais(UFCVirtual), objeto de estudo no doutorado, foi pesquisadora visitante no Knowledge Media Institute (KMi) - Open University - Reino Unido. Foi orientadora da Célula de Formação de Professores na Secretaria de Educação do Estado do Ceará - SEDUC - CE. Tem experiência formação de professores em projetos interdisciplinares. Atua no desenvolvimento de pesquisas nos temas: inclusão digital, gestão de ambientes virtuais, desing instrucional, cenários ubíquos Com vinculo nos grupos de pesquisa: Processos Educacionais, B-learning e inclusão digital ( UEGRS) e Colearn ( KMI/Open University/UK). Com premiação na área de TIC, com o projeto RiverWalk Brasil, parceria com Universidade de Michigan, Edital Economia Criativa na categoria Formação para competências criativas - Ministério da Cultura.

Alexandra Okada, OPEN UNIVERSITY - UK

Pós doutora pela The Open University United Kingdom OU-UK (2008). Possui graduação em Curso Superior de Tecnologia em Computação pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (1988), especialização em Licenciatura Formação de Professor Ens Fund. Médio pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (1997), mestrado em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2001) e doutorado em Curso de Pós-Graduação Educação: Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2006). Atualmente é pesquisadora professora do Knowledge Media Institute (KMi OU-UK) e coordenadora da comunidade internacional de pesquisa CoLearn OU-UK, professora visitante do curso de MBA online da Fundação Getúlio Vargas - RJ . Tem experiência na área de Ciência da Computação e Educação com ênfase em Tecnologias de Comunicação e Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: Cartografia Cognitiva, Ambientes Virtuais de Aprendizagem e Conhecimento em Rede.

Referências

AVACED. 2021. Disponível em: https://avaced.seduc.ce.gov.br/mod/forum/view.php?id=22887. Acesso em: 29 set. 2021.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1995.

CGI.BR. TIC Domicilios. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2018. Disponível em: https://cetic.br/pt/pesquisa/domicilios/. Acesso em: 29 set. 2021.

FRAILLON, J. et al. Preparing for Life in a Digital World: IEA International Computer and Information Literacy Study 2018 International Report. Amsterdam: IEA, 2018. Disponível em: https://www.iea.nl/publications/study-reports/preparing-life-digital-world. Acesso em: 29 set. 2021.

FREIRE, P. Pedagogia dos Sonhos Possíveis. São Paulo: UNESP, 2001.

MORIN, E. Os sete saberes necessários á educação do futuro. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2011.

OKADA, A. et al. Key skills for co-learning and co-inquiry in two open platforms: a massive portal (EDUCARED) and a personal environment (weSPOT). Open Praxis, v. 7, n. 1, p. 83-102, 2015.

OKADA, A. Competências Chave para Coaprendizagem na Era Digital: fundamentos, métodos e aplicações. Santo Tirso, PT: WHITEBOOKS, 2014.

OKADA, A. Engaging Science: Innovative Teaching for responsible citizenship. Milton Keynes: The Open University, 2016.

OKADA, A.; SHERBORNE, T. Equipping the Next Generation for Responsible Research and Innovation with Open Educational Resources, Open Courses, Open Communities and Open Schooling: An Impact Case Study in Brazil. Journal of Interactive Media in Education, 1(18), 1-15, 2018.

SANTOS, B. S. O fim do império cognitivo: A afirmação das epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina, 2018.

SOUZA, K. P. Tecnologias da Informação e Comunicação e Empreendedorismo: os novos paradigmas e aprendizagens de jovens empreendedores e as suas inovações tecnológicas. 2014. 659f. Tese(Doutorado em Ciências da Educação)- Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2014.

SOUZA, K. P. As novas formas de aprender e Coempreender em rede. In: FALAVIGNA, G.; CORBELLINI, S.; SILVA, B. D. (orgs.). Educação coempreendedor@: histórias de um projeto-piloto. Porto Alegre: ediPUCRS, 2018.

SOUZA, K. P. As portas da conectividade, da educação e da ecologia de saberes – os limites e as possibilidades, em tempos de Covid-19. AliceNews: Centro de Estudos Sociais. Universidade Coimbra. 2020. Disponível em: https://alicenews.ces.uc.pt/index.php?lang=1&id=29342. Acesso em: 10 mar. 2021.

VEEN, W.; VRAKING, B. Homo zappiens: educando na era digital. Porto Alegre: Artmed, 2009.

Publicado

2022-05-02

Como Citar

Souza, K. P. de, & OKADA , A. . (2022). Os Jovens como co-empreendedores e inovadores digitais sociais: investigação baseada no RRI. EmRede - Revista De Educação a Distância, 8(2), 1-14. https://doi.org/10.53628/emrede.v8i2.788

Edição

Seção

Dossiê A educação em rede e a inovação responsáveis em tempos de pandemia