PROCESSOS DE FORMAÇÃO A DISTÂNCIA

Juliane Corrêa

Resumo


Este artigo traz uma problematização do que temos abordado em relação aos processos de formação a distância. Agrupa algumas experiências vividas em dois cenários: formações com sistemas integrados e formações contextualizadas em rede. Analisa dilemas e desafios decorrentes dos processos de formação a distância. Relata o processo de constituição e formação a distância do GIZ – rede de desenvolvimento de práticas de ensino superior/Prograd/UFMG. Por fim, considera que precisamos abordar aquilo que se encontra na experiência dos processos formativos, aquilo que nos inquieta, nos desafia.

 


Palavras-chave


Formação a distância; formação em rede; formação contextualizada; ensino superior

Texto completo:

PDF

Referências


BELLONI, Maria Luíza. Educação a distância. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE ENSINO SUPERIOR. Tendências de Educação Superior para o Século XXI. Brasília: UNESCO/CRUB, 1998.

CORRÊA, Juliane. Educação a distância – orientações metodológicas. Porto Alegre: Artmed, 2007.

LITWIN, Edith. Educação a distância: uma nova agenda para o debate educacional. Porto Alegre: Artmed, 2001.

MOORE, Michael; KEARSLEY, Greg. Educação a distância – uma visão integrada. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

PETERS, Otto. Didática do ensino a distância. São Leopoldo, RS: Unisinos, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista EmRede



EmRede - Revista de Educação a Distância, Porto Alegre, RS, Brasil.

ISSN: 2359-6082

Classificação em Qualis Periódicos B4 (2019)
Indexação (consulte a seção Sobre)


Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional ((CC BY-NC-SA 4.0).