O USO DA PROBLEMATIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: DESAFIOS E CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO EM SAÚDE

Autores

  • Neila Santini de Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA/CAMPUS PALMEIRA DAS MISSÕES/RS http://orcid.org/0000-0002-5083-9432
  • Dilva Martins Monteiro Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Karla Kristine Dames da Silva Instituto Federal do Rio de janeiro
  • Ana Zoé Schilling Universidade de Santa Cruz do Sul
  • Carmem Lúcia Colomé Beck Universidade Federal de Santa Maria - Campus Santa Maria
  • Kátia Cristina Felippe Fundação Educacional Serra dos Órgãos - UNIFESO

Palavras-chave:

metodologias ativas de aprendizagem, ensino semipresencial, ativação de mudanças, formação em saúde

Resumo

Discute-se sobre as potencialidades e desafios da modalidade semipresencial em curso lato sensu que utiliza metodologias ativas de aprendizagem na formação de profissionais de saúde. Trata-se de relato de experiência de tutores de um curso de especialização na educação a distância. O uso das tecnologias da informação e da comunicação em curso de pós-graduação baseado na problematização possibilitou a construção de conhecimentos articulados às práticas, e subsidiou propostas de intervenção inovadoras no trabalho em saúde. A experiência como tutores no desenvolvimento deste curso mostrou que ele foi um poderoso instrumento para a capacitação da prática docente em saúde, além de ter potencializado inovações na gestão e no cuidado em saúde.

Biografia do Autor

Neila Santini de Souza, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA/CAMPUS PALMEIRA DAS MISSÕES/RS

Professora Adjunta do Departamento de Ciências da SaúdeÁrea: educação em enfermagem e saúde; saúde da criança e do adolescente; saúde da família.

Dilva Martins Monteiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Psicóloga do Núcleo de tecnologia Educacional para a Saúde (NUTES)

Karla Kristine Dames da Silva, Instituto Federal do Rio de janeiro

Professora Adjunta do Curso de Fisioterapia

Ana Zoé Schilling, Universidade de Santa Cruz do Sul

Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem e Odontologia

Carmem Lúcia Colomé Beck, Universidade Federal de Santa Maria - Campus Santa Maria

Professora Titular do Departamento de Enfermagem

Kátia Cristina Felippe, Fundação Educacional Serra dos Órgãos - UNIFESO

Professora do Curso de Medicina

Referências

BARRETO, R.G. Novas tecnologias na escola: um recorte discursivo. In: BARRETO, R.G. (Org.). Tecnologias educacionais e educação a distância. 2. ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2003.

BERBEL, N.A.N. A metodologia da problematização em três versões no contexto da didática e da formação de professores. Rev, Diálog. Educ., v.12, n 35, jan/abr, p.130-120, 2012.

BERBEL, N.A.N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface – Comunic, Saúde, Educ., v.2, Fev. p.139-154, 1998.

BERGER, Z.; COLLINS, M. Introductory chapter. In: BERGER, Z.; COLLINS, M. Computer-mediated communication and the online classroom in distance learning. New Jersey: Hampton, 1995.

BRASIL. Ministério da Saúde. SGTES/DGES. Curso de Especialização em Ativação de Processos de Mudança na Formação Superior de Profissionais de Saúde. Caderno do Especializando. Brasil. Ministério da Saúde. -3 ed. Revisada – Brasília: Brasil. Ministério da Saúde/Fiocruz. 2010. 112p.

ERDMANN, A. et al. Gestão das práticas de saúde na perspectiva do cuidado complexo. Texto e Contexto - enfermagem, Florianópolis, v.15, n.3, Set, 2006.

FERRAZ, F.; BACKES, V. M. S.; MERCADO-MARTINEZ F. J.; PRADO, M.L. Políticas e Programas de Educação Permanente em Saúde no Brasil: revisão integrativa de literatura. Saúde & Transformação Social / Health & Social Change, v. 3, p. 113-128, 2012.

FREITAS, F.F.B. Uma tentativa de abordagem pedagógica do ciberespaço. 2005. Disponível em: . Acesso em: 21 fev 2017.

GOMES, M.P.C et al. O uso de metodologias ativas no ensino de graduação nas ciências sociais e da saúde – avaliação de estudantes. Ciência & Educação, v.16, n.1, p.181-198, 2010.

LIMA, V.V.; FEUERWERKER, L.C.M.; PADILHA, R.Q.; GOMES, R.; HORTALE, V.A. Ativadores de processos de mudança: uma proposta orientada à transformação das práticas educacionais e da formação de profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, vol. 20, n.1, p.279-288, 2015.

MERHY, E.E. Saúde: a cartogragia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2002.

MONTEIRO, D.M.; BRANT RIBEIRO, V.M. & STRUCHINER,M. As tecnologias da informação e da comunicação nas práticas educativas: espaços de interação? Estudo de um fórum virtual. Rev. Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 101, p. 1435-1454, set./dez. 2007.

PALLOFF, R.M.; PRATT, K. Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço: estratégias eficientes para salas de aula on-line. Porto Alegre: ARTMED, 2002.

RIBEIRO,V.M.B E CIUFFO, R.S. Sistema Único de Saúde e a formação dos médicos: um diálogo possível? Interface - Comunic., Saúde, Educ., v.12, n.24, p.125-40, jan./mar. 2008.

SILVA, B.S.J.; BARROS, E.A.; EUZÉBIO, J.M.F; BARRETO, R.F. Educação a distância: desafio e perspectivas. Revista Educação Pública, nov, 2015. Disponível em < http://educacaopublica.cederj.edu.br/revista/artigos/educacao-a-distancia-desafio-e-perspectivas> Acesso em: 13 mar 2017.

TRICOT, A.; RUFINO, A. Modalités et scénarios d’interaction dans des hypermédias d’apprentissage. Revue des Sciences de l’Éducation, Montreal, v.25, n.1, p,105-129, 1999.

Publicado

2017-10-14