POLOS PARCEIROS E O CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA: RELAÇÕES CONSTRUÍDAS

Autores

  • Thais Philipsen Grutzmann Universidade Federal de Pelotas - UFPEL Departamento de Educação Matemática.

Palavras-chave:

Polos de Apoio Presencial. Curso de Licenciatura em Matemática a Distância. Relação. Parceria. Educação a Distância

Resumo

Este artigo busca descrever como o Curso de Licenciatura em Matemática a Distância vem trabalhando em parceria, há 12 anos, com os Polos de Apoio Presencial e seus atores, nos projetos Pró-Licenciatura Fases I e II e no Programa Universidade Aberta do Brasil. A partir disso, descreve as diferentes fases que o curso passou, desde seu início em 2006 até o momento atual, a partir da proposta pedagógica vigente e do cenário político da EaD na UAB e na instituição. São descritos os ingressos no curso e algumas capacitações realizadas, revelando que a parceria é frutífera, desenvolvida com respeito e seriedade e sempre pensando no crescimento total do aluno.

Biografia do Autor

Thais Philipsen Grutzmann, Universidade Federal de Pelotas - UFPEL Departamento de Educação Matemática.

Doutora em Educação (UFPel/2013); Mestre em Educação em Ciências e Matemática (PUCRS/2009); Especialista em Matemática e Linguagem (UFPel/2007); Licenciada em Matemática (UFPel/2005). Atualmente é Coordenadora do Curso e Professora Adjunta do CLMD/IFM/UFPEL – Curso de Licenciatura em Matemática a Distância, trabalhando nos projetos Pró-Licenciatura e Universidade Aberta do Brasil (UAB). Tem experiência na área de Ensino de Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Tutoria e Educação a Distância, Saberes Docentes, Estágio Curricular Supervisionado, Educação Matemática.

Referências

ALVES, R. S. et al. Experimentações e outras possibilidades de aprendizagem nas aulas de geometria espacial do Curso de Licenciatura em Matemática a Distância UFPel. In: Anais do XV ENABRAPSO – Encontro Brasileiro de Psicologia Social, 2009. Disponível em: <http://www.abrapso.org.br/siteprincipal/images/Anais_XVENABRAPSO/ 442.%20experimenta%C7%D5es%20e%20outras%20possibilidades.pdf>. Acesso em: 15 maio 2017.

ALVES, R. S. et al. Os desafios na utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação no Ensino da Geometria. In: 16º CIAED Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, 2010. Disponível em: <http://www.abed.org.br/ congresso2010/ cd/252010224751.pdf>. Acesso em: 15 maio 2017.

ALVES, R. S.; SPEROTTO, R. I.; GOVEIA, L. O ensino da geometria no nível fundamental: preterido ou esquecido? In: VIII ANPEDSUL – Encontro de Pesquisa em Educação da Região Sul, 2010. Disponível em: <http://www.portalanpedsul.com.br/admin/uploads/ 2010/Educacao_em_Ciencias_e_Matematica/Trabalho/07_59_05_O_ENSINO_DA_GEOMETRIA_NO_NIVEL_FUNDAMENTAL__PRETERIDO_OU_ESQUECIDO.PDF>. Acesso em: 15 maio 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto Nº 6.303, de 12 de dezembro de 2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Decreto/ D6303.htm#art1>. Acesso em: 08 maio 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES Nº 1, de 11 de março de 2016. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view= download&alias=35541-res-cne-ces-001-14032016-pdf&category_slug=marco-2016-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 08 maio 2017.

CAMPOS, Gilda Helena Bernadino de; ROQUE, Gianna Oliveira Bogossian. Desing didático: pensando em estruturas pedagógicas para a modalidade a distância. In: CAMPOS, G. H. B.; ROQUE, G. O. B.; AMARAL, S. B. As relações colaborativas: desafios da docência na Educação a Distância. Curitiba: CRV, 2011. Cap. 3. p. 25-47.

Censo EaD.BR: Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2015 [organização] ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância. Curitiba: InterSaberes, 2016.

CORRÊA, Juliane. Estrutura de programas em EaD. In: CORRÊA, J. Educação a distância: orientações metodológicas. Porto Alegre: Artmed, 2007. cap.1, p.9-19.

DEL PINO, M. A. B.; GRÜTZMANN, T. P.; PALAU, R. C. N. A educação a distância nas instituições federais de ensino: novas relações no processo de trabalho docente. Cadernos de Educação, Faculdade de Educação – UFPEL. v.20, n. 38 (jan-abr. 2011). Editora UFPel, Pelotas, RS. p. 235-257.

GARBIN, T. R.; DAINESE, C. A. Complexidade da Gestão em EaD. In: 16º CIAED Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, 2010. Disponível em: <http://www.abed.org.br/congresso2010/cd/352010000655.pdf>. Acesso em: 12 maio 2017.

GONZALEZ, M. Fundamentos da tutoria em educação a distância. São Paulo: Avercamp, 2005.

GRÜTZMANN, T. P. Os saberes docentes na tutoria em Educação a Distância. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação. Faculdade de Educação. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2013. 259f.

MATTAR, J. Tutoria e interação em educação a distância. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

MILL, D. R. S.; RIBEIRO, L. R. C.; OLIVEIRA, M. R. G. (ORG). Polidocência na educação a distância: múltiplos enfoques. São Paulo: EdUFSCar, 2010.

MILL, Daniel Ribeiro Silva. Sobre o conceito de polidocência ou sobre a natureza do processo de trabalho pedagógico na Educação a Distância. In: MILL, D. R. S.; RIBEIRO, L. R. C.; OLIVEIRA, M. R. G. (ORG). Polidocência na educação a distância: múltiplos enfoques. São Paulo: EdUFSCar, 2010. Cap. 2. p. 23-40.

MILL, D. R. S. Docência virtual: uma visão crítica. Campinas, SP: Papirus, 2012.

MOORE, M. G.; KEARSLEY, G. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

SILVA, R. S. Gestão de EaD: Educação a Distância na Era Digital. São Paulo: Novatec, 2013a.

SILVA, R. S. Moodle para autores e tutores. 3. ed. São Paulo: Novatec, 2013b.

SIMÕES, C. F. 20 anos de avaliação da aprendizagem em EaD: algumas questões éticas e normativas. In: SIED – Simpósio Internacional de Educação a Distância e EnPED – Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância. 2016, UFSCar. Disponível em: <http://www.sied-enped2016.ead.ufscar.br/ojs/index.php/2016/article/view/2011/ 731 >. Acesso em: 12 maio 2017.

UFPel/PPP/CLMD. Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática a Distância. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2010.

UFPel/PPP/CLMD. Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática a Distância. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2014.

Publicado

2017-10-14

Como Citar

Grutzmann, T. P. (2017). POLOS PARCEIROS E O CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA: RELAÇÕES CONSTRUÍDAS. EmRede - Revista De Educação a Distância, 4(2), 408-417. Recuperado de https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/209