Laboratório de ensino de matemática no curso de Licenciatura: uma experiência acadêmica sobre funções do 1º grau com alunos do ensino médio

Autores

  • Thais Philipsen Grutzmann Universidade Federal de Pelotas Instituto de Física e Matemática
  • Rozane da Silveira Alves Universidade Federal de Pelotas Instituto de Física e Matemática

Palavras-chave:

Laboratório de Ensino de Matemática, Jogo, Função, matemática

Resumo

O trabalho apresenta o relato de uma experiência na disciplina de Laboratório de Ensino de Matemática de um curso de Licenciatura em Matemática na modalidade a distância, de uma instituição pública de ensino superior da região Sul do país. O objetivo do artigo é descrever a construção e a aplicação da atividade “Corrida das Funções Afim” por um grupo de acadêmicas do curso, tendo como sujeitos alunos do Ensino Médio de uma escola pública, explorando a relação ensino-extensão. As atividades foram desenvolvidas no primeiro semestre de 2018, em seis polos, com 52 acadêmicos matriculados e 37 participativos. Destaca-se que, como resultado, a percepção positiva dos acadêmicos sobre produção, adaptação e aplicação de jogos no Ensino Médio.

Biografia do Autor

Thais Philipsen Grutzmann, Universidade Federal de Pelotas Instituto de Física e Matemática

Doutora em Educação (UFPel/2013); Mestre em Educação em Ciências e Matemática (PUCRS/2009); Especialista em Matemática e Linguagem (UFPel/2007); Especialista em Educação - ênfase em Educação de Surdos (UFPel/2019); Licenciada em Matemática (UFPel/2005). É Professora Adjunta do Instituto de Física e Matemática (IFM) da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), estando como atual Vice-Diretora da unidade. Atua nos Curso de Licenciatura em Matemática Diurno, Noturno e a Distância e é docente/orientadora do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática (PPGEMAT), sendo a atual Coordenadora Adjunta.

Rozane da Silveira Alves, Universidade Federal de Pelotas Instituto de Física e Matemática

Possui graduação em Engenharia Industrial pela Universidade Federal do Rio Grande (1975), Licenciatura em Matemática pela Universidade Católica de Pelotas (1999), especialização em Matemática pela Universidade Federal de Pelotas (2000), Mestrado em Ciências da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1982), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (2002) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (2014). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Pelotas, atuando na área de Educação a Distância em Matemática,nos cursos de Licenciatura em Matemática integral e Noturno e no Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, sendo a atual Coordenadora. 

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Programa de Formação Inicial para Professores em Exercício no Ensino Fundamental e no Ensino Médio – Pró-Licenciatura. 2005. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pro_licenciatura.pdf. Acesso em: 05 mar. 2020.

BRASIL. Decreto 5.800, de 08 de junho de 2006. Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil – UAB. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/decreto/d5800.htm. Acesso em: 06 ago. 2020.

BRASIL. Resolução nº 7, de 18 de Dezembro de 2018. Estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira e regimenta o disposto na Meta 12.7 da Lei nº 13.005/2014, que aprova o Plano Nacional de Educação – PNE 2014-2024 e dá outras providências. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/55877808. Acesso em: 05 mar. 2020.

Censo EaD.BR. Relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil 2016. [livro eletrônico]/[organização] ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância. Curitiba: InterSaberes, 2017. Disponível em: http://abed.org.br/censoead2016/Censo_EAD_2016_portugues.pdf. Acesso em: 19 fev. 2020.

Censo EaD.BR. Relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil 2017. [livro eletrônico]/[organização] ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância. Curitiba: InterSaberes, 2018. Disponível em: http://abed.org.br/arquivos/CENSO_EAD_BR_2018_digital_completo.pdf. Acesso em: 19 fev. 2020.

Censo EaD.BR. Relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil 2018. [livro eletrônico]/[organização] ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância. Curitiba: InterSaberes, 2019. Disponível em: http://abed.org.br/arquivos/CENSO_DIGITAL_EAD_2018_PORTUGUES.pdf. Acesso em: 19 fev. 2020.

DIANA, J. B.; CATAPAN, A. H.; SPANHOL, F. J. Educação a distância e a escassez no acesso ao ensino superior: o papel do polo de apoio presencial. EmRede – Revista de Educação a Distância, v. 4, n. 2, 2017, p. 317-327. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/236. Acesso em: 06 ago. 2020.

DIANA, J. B.; CATAPAN, A. H. Práticas pedagógicas nos polos de apoio presencial. EmRede – Revista de Educação a Distância, v. 4, n. 2, 2017, p. 347-355. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/237. Acesso em: 06 ago. 2020.

GRÜTZMANN, T. P. Polos parceiros e o Curso de Licenciatura em Matemática a Distância: relações construídas. EmRede – Revista de Educação a Distância. v. 4, n. 2, 2017, p. 408-417. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/209. Acesso em: 06 ago. 2020.

GUIMARÃES, R. S. Atividades para aprendizagem do conceito matemático de função. 2010. 201f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Exatas) – Departamento de Matemática, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2010.

LORENZATO, S. Para aprender matemática. Campinas, SP: Autores Associados, 2006.

LORENZATO, S. (Org.). O laboratório de ensino de matemática na formação de professores. 3ª. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

MASINI, E. F. S.; MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa: condições para ocorrência e lacunas que levam a comprometimentos. São Paulo: Vetor, 2008.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa: a teoria e textos complementares. São Paulo: Livraria da Física, 2011.

MOREIRA, M. A.; MASINI, E. F. S. Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Centauro, 2001.

MUNIZ, C. A. Brincar e jogar: enlaces teóricos e metodológicos no campo da educação matemática. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

PALLOFF, R. M.; PRATT, K. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes on-line. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SANTOS, J. C. F. Aprendizagem significativa: modalidades de aprendizagem e o papel do professor. Porto Alegre: Mediação, 2008.

SILVA, C. R. B. et al. A utilização do jogo trilha das funções na sala de aula. In: XIII Encontro Nacional de Educação Matemática (ENEM). Anais... São Paulo, 2016. Disponível em: http://www.sbem.com.br/enem2016/anais/pdf/6227_4091_ID.pdf. Acesso em: 19 abr. 2018.

SMOLE, K. S.; DINIZ, M. I.; MILANI, E. Jogos de matemática de 6º a 9º ano. Porto Alegre: Artmed, 2007.

SMOLE, K. S.; DINIZ, M. I.; PESSOA, N.; ISHIHARA, C. Jogos de matemática: de 1º a 3º ano. Porto Alegre: Artmed, 2008.

Publicado

2020-11-06

Como Citar

Grutzmann, T. P., & Alves, R. da S. (2020). Laboratório de ensino de matemática no curso de Licenciatura: uma experiência acadêmica sobre funções do 1º grau com alunos do ensino médio. EmRede - Revista De Educação a Distância, 7(2), 220-232. Recuperado de https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/578

Edição

Seção

Dossiê Extensão na Educação a Distância