O ENSINO DA ENFERMAGEM MEDIANTE O USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

  • Agnes Peruzzo Innocente Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) http://orcid.org/0000-0002-3560-3886
  • Sílvio César Cazella Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA)

Palavras-chave:

dispositivos móveis, m-learning, educação em enfermagem, tecnologia da informação

Resumo

Este artigo apresenta uma revisão integrativa que objetivou identificar publicações científicas que abordassem o uso de dispositivos móveis como ferramentas de ensino por enfermeiros e estudantes de enfermagem. A revisão foi realizada a partir de uma única base eletrônica de dados, e foram incluídos os estudos publicados entre os anos 2012 e 2016. Dos 51 estudos revisados, 12 foram analisados. A despeito do número de publicações que tratavam de dispositivos móveis, verificou-se um número reduzido relacionando sua utilização com a educação dos indivíduos delimitados para o estudo. Todavia, há indicativos do grande potencial do uso dos dispositivos móveis no ensino, principalmente quando os indivíduos encontram-se geograficamente distantes de seus pares e mentores.

Biografia do Autor

Agnes Peruzzo Innocente, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA)

Enfermeira, especialista em oncologia, mestranda do curso de Pós-Graduação Stricto Senso em Ensino na Saúde da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.

Sílvio César Cazella, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA)

Graduado em Informática, Mestre em Ciência da Computação, Doutor em Ciência da Computação. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde (UFCSPA). 

Referências

ALCÂNTARA, N. R.; MORAES FILHO, A. V. Elaboração e utilização de um aplicativo como ferramenta de ensino de Bioquímica: carboidratos, lipídeos, proteínas e ácidos nucleicos. Revista de Ensino de Bioquímica, v. 13, n. 3. 2015.

BARRA, D. C. C.; SASSO, G. T. M. D. Tecnologia móvel à beira do leito: processo de enfermagem informatizado em terapia intensiva a partir da CIPE 1.0®. Texto Contexto Enferm., Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 54-63, jan./mar. 2010.

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C. C. A.; MACEDO, M. O método de revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade, Belo Horizonte, v. 5, n. 11, p. 121-36, maio./ago. 2011.

FERNANDES, A. C. Interdisciplinaridade, construtivismo e aprendizagem significativa: elementos facilitadores do ensino da nanotecnologia. Revista Eixo, v. 4, n. 2, jul./dez. 2015.

FERNANDES, L. Redes Sociais Online e Educação: Contributo do Facebook no Contexto das Comunidades Virtuais de Aprendentes. Universidade Nova de Lisboa, Portugal. 2011.

HOLANDA, V. R.; PINHEIRO, A. K. B. Desenvolvimento de um sistema hipermídia para o ensino interativo das doenças sexualmente transmissíveis. Rev enferm UFPE on-line, Recife, v. 9, n. 2 (supl.), p. 781-9, fev., 2015. Disponível em: <http://www.dcc.ufla.br/ infocomp/index.php/INFOCOMP/article/view/136/121>. Acesso em: 10 jan. 2017.

INTERNATIONAL DATA CORPORATION (IDC). Worldwide Business Use Smartphone 2013 –2017 Forecast and Analysis. Massachusetts, 2013.

KAKUSHI, L. E.; ÉVORA, Y. D. M. As redes sociais na educação em enfermagem: revisão integrativa da literatura. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 24. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rlae/v24/pt_0104-1169-rlae-24-02709.pdf>. Acesso em: 15 jan. 2017.

LAHTI, M.; HÄTÖNEN, H.; VÄLIMÄKI, M. Impact of e-learning on nurses’ and student nurses knowledge, skills, and satisfaction: A systematic review and meta-analysis. International Journal of Nursing Studies, v. 51, p. 136–149. 2014.

MARTINS, K. R. M. et al. Perspectiva de acadêmicos de enfermagem diante dos estágios supervisionados. C&D Revista Eletrônica da Fainor, Vitória da Conquista, v. 9, n. 1, p. 56-73, jan./jun. 2016.

MENDES, K. D. S; SILVEIRA, R. C. de C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm., Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 758-64, out./dez. 2008.

MERCÊS, J. M. R.; REDEIRO, M. M. P. A importância dos dispositivos móveis como estratégia para a formação e desenvolvimento de profissionais de saúde. In: CONGRESSO INTERNACIONAL ABED DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 22., 2016, São Paulo. Anais... Águas de Lindóia, SP: ABED, 2016, art.306, p.1-9.

MINHOTO, P. M. L. V. A utilização do Facebook como suporte à aprendizagem da biologia: estudo de caso numa turma do 12º ano. 2012. 12 p. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) - Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação, Bragança, Portugal, 2012.

MOURA, R. B. C. et al. Possibilidades educacionais ampliadas pelo uso de novas tecnologias no cenário dos nativos digitais. Revista Eletrônica da Unicruz. 2015. Disponível em: <http://revistaeletronica.unicruz.edu.br/index.php/computacao/ article/view/390>. Acesso em: 05 jan. 2017.

PINA, F. et al. Adoção de m-learning no ensino superior: o ponto de vista dos professores. REAd, Porto Alegre, v. 84, n. 2, p. 279-306, maio/ago. 2016.

QUARESMA, C. O ensinar e aprender mediado por tecnologias educacionais em rede: PNFEM e a integração das TIC no ensino médio. Dissertação (Mestrado em Tecnologias Educacionais em Rede) - Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Educacionais em Rede, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015.

SACCOL, A.; SCHLEMMER, E.; BARBOSA, J. M-learning e u-learning: novas perspectivas das aprendizagens móvel e ubíqua. 1ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

SANTOS, K. S.; LIMA, R. R.; BOTTENTUIT JUNIOR, J. B. TIC e as discussões sobre sexualidade na escola: o subsídio da tecnologia na ampliação dos debates. Temática, n. 12, dez. 2014.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, v. 8, n. 1, p. 102-106. 2010.

TENÓRIO, D. M. ET AL. Evaluation of the interactive blog on wound repair and nursing care. J. Res. Fundam. Care., v. 5, n. 3, p. 202-10, jul./set. 2013. Disponível em: <http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1584/pdf_904>. Acesso em: 5 jan. 2017.

TIBES, C. M. S.; DIAS, J. D.; ZEM-MASCARENHAS, S. H. Aplicativos móveis desenvolvidos para a área da saúde no Brasil: revisão integrativa de literatura. Rev Min Enferm., v. 18, n. 2, p. 471-478, abr./jun. 2014.

VIEIRA, M. C.; SANTAROSA, L. M. C. Tendências na inserção de dispositivos móveis na educação: uma revisão de literatura internacional. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 23., 2013, Porto Alegre. Anais eletrônicos... Porto Alegre, PUCRS, 2013. Disponível em: <http://www.tise.cl/volumen9/ TISE2013/495-498.pdf>. Acesso em 10 nov. 2017.

WILLEMSE, J. J. Undergraduate nurses reflections on WhatsApp use in improving primary health care education. Curatonis, v. 38, n. 2, 2015. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.4102/curatonis.v38i2.1512>. Acesso em 15 jan. 2017.

ZANCANARO, A.; Santos, P. M.; Silva, A. R. L.; Borges, M. A.; Battisti, P.; Spanhol, F. J. Redes Sociais na Educação a Distância: uma análise do projeto e-Nova. Datagramazero - Revista da Informação, v. 13, n. 2, abr. 2012.

Publicado

2018-03-16

Como Citar

Innocente, A. P., & Cazella, S. C. (2018). O ENSINO DA ENFERMAGEM MEDIANTE O USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS UMA REVISÃO INTEGRATIVA. EmRede - Revista De Educação a Distância, 5(1), 113-122. Recuperado de https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/275