EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, HIBRIDISMO E METODOLOGIAS ATIVAS: FUNDAMENTOS CONCEITUAIS PARA UMA PROPOSTA DE MODELO PEDAGÓGICO NA OFERTA DAS DISCIPLINAS SEMIPRESENCIAIS DOS CURSOS PRESENCIAIS DE GRADUAÇÃO DA UNEB

Autores

Palavras-chave:

Educação a Distância, hibridismo, metodologias ativas

Resumo

Aborda uma proposta de modelo pedagógico para disciplinas semipresenciais na graduação presencial da UNEB, utilizando metodologias ativas e tecnologias digitais. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica como recorte inicial de uma pesquisa-aplicação (PLOMP el al., 2018) em desenvolvimento para construir um modelo pedagógico funcional para o ensino-aprendizagem dos componentes curriculares semipresenciais. Foi utilizada a pesquisa bibliográfica para a construção dos fundamentos teórico-conceituais. Bacich (2015), Moran (2015), Lave (1991), Wenger (1996), Farias (2006), Filatro e Cavalcante (2018), Farias (2006) e Cardoso (2014) sustentam as discussões sobre metodologias ativas e hibridismo. Neste artigo, apresenta-se a convergência de metodologias ativas com tecnologias digitais no âmbito do ensino híbrido.

Biografia do Autor

Emanuel do Rosário Santos Nonato, Universidade do Estado da Bahia

Doutor em Difusão do Conhecimento (UFBA). Mestre em Educação (UNEB). Licenciado em Letras (UCsal). Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (UNEB). Professor Adjunto do Departamento de Educação I (UNEB).

Mary Valda Souza Sales, Universidade do Estado da Bahia

Doutora em Educação (UFBA), Mestre em Educação (UNEB), Licenciada em Pedagogia (UCSal), Professora Adjunta do Departamento de Educação I e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Referências

BACICH, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello (org). Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

BRASIL. Lei nº 9. 394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, Diário Oficial da União de 21 dez. 1996.

BRASIL. Decreto nº 9.057 de 25 de maio de 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, Diário Oficial da União de 26 maio 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 1.428 de 28 de dezembro de 2018. Dispõe sobre a oferta, por Instituições de Educação Superior - IES, de disciplinas na modalidade a distância em cursos de graduação presencial. Brasília, Diário Oficial da União de 31 dez. 2018.

CARDOSO, A. P. P. de O. Inovação com a investigação. Coimbra, Portugal: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2014.

FARIAS, I. M. S. de. Inovação, Mudança e Cultura Docente. Brasília: LiberLivro, 2006.

FILATRO, A.; CAVALCANTI, C. C. Metodologias Inov-ativas na educação presencial, a distância e corporativa. São Paulo: Saraiva Educação, 2018.

GARDNER, H. A Nova Ciência da Mente. Edusp: São Paulo, 2003.

LAVE, J.; WENGER, E. Situated Learning: Legitimate Peripheral Participation. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.E.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, EPU, 1986.

MINAYO, M. C. Ciência, técnica e arte: o desafio da Pesquisa Social. In:

MINAYO, M. C. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001, p. 09-30.

MORAN, José. Educação Híbrida: um conceito-chave para a educação hoje. In:

BACICH, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Melo (Org.). Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

MOREIRA, J. A., MONTEIRO, A., LENCASTRE. J. A. Blended (e)learning na sociedade digital. Santo Tirso,Portugal: Whitebooks, 2015.

NONATO, E. R. S.; SALES, M. V. S. Educação e os caminhos da escrita na cultura digital. In: FERRAZ, O. Educação, (multi)letramentos e tecnologias: tecendo redes de conhecimento sobre letramentos, cultura digital, ensino e aprendizagem na cibercultura. Salvador: Edufba, 2019, p. 141-172.

PLOMP, T.; NIEVEEN, N.; NONATO, E.; MATTA, A. (org). Pesquisa-Aplicação em Educação: uma introdução. São Paulo: Artesanato Educacional, 2018.

SQUIRRA, S. C.. de M. A convergência tecnológica. Revista FAMECOS. Porto Alegre, n. 27, p. 79-85, ago. 2005.

YANG, C. C. The integrated model of core competence and core capability. Total Quality Management & Business Excellence, v. 26, n. 1-2, p. 173-189, 2015.

WENGER, Etiene. Communities of Practice: learning, meaning and identity. Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

Publicado

2019-10-22

Edição

Seção

Dossiê Ensino Híbrido ou Blended Learning