Prefiro a escola: percepções de alunos e familiares sobre o ensino remoto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53628/emrede.v8.1.737

Palavras-chave:

Escola, Família, Ensino remoto, Educação, Sociabilidade

Resumo

O texto expressa a avaliação dos alunos e familiares de uma turma de 5º ano do Ensino Fundamental sobre o ensino remoto realizado em 2020. Os dados foram gerados numa reunião remota entre família e escola e apresenta as percepções dos participantes sobre o ano “pandêmico”, as aulas remotas e a aprendizagem. Os resultados ressaltaram a importância da escola como instância de socialização e de aprendizagens múltiplas e evidencia a necessidade de ampliar a relação entre família e escola durante e após a pandemia.

Biografia do Autor

Robson Lima de Arruda, Universidade Estadual da Paraíba

Graduado em Pedagogia pela Universidade Estadual da Paraíba (2009), é Mestre em Formação de Professores pela Universidade Estadual da Paraíba, Mestre em Psicanálise Aplicada à Saúde e Educação pela UNIDERC/ABEPE (2015), Especialista em Psicanálise Aplicada à Educação e Saúde – ANCHIETA (2014) e Especialista em Educação Básica pelo Centro Universitário de João Pessoa – UNIPÊ (2011). Integrante dos Grupos de Pesquisa Comunicação, Cultura e Desenvolvimento e Comunicação (DECOM/UEPB) e Tecnologias, Culturas e Linguagens (TECLIN/UEPB) (Possui experiência na docência da educação básica desde 2001 como professor da Educação de Jovens e Adultos, Ensino Fundamental, Ensino Médio e Normal Médio. Atuou na formação de professores em programas como o Profoco, Pró-Letramento, Projeto Trilhas, Brasil Alfabetizado, Programa Paulo Freire e Pnaic. Atualmente é professor dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental na rede municipal de ensino e Analista Educacional na rede Estadual, ambas em Vertente do Lério – PE. Tem interesse por estudos sobre didática e práticas pedagógicas, pedagogia de projetos, cultura e diversidade, com foco na formação permanente de professores.

Referências

BARDIN. L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

CASTELLS, M. A sociedade em Rede: do conhecimento à política. In: CASTELLS, M.; CARDOSO, G. (Org.). A Sociedade em Rede: do conhecimento à ação política. Conferência. Belém: Imprensa Nacional, 2005. Disponível em: https://egov.ufsc.br/portal/conteudo/sociedade-em-rede-do-conhecimento-%C3%A0-ac%C3%A7%C3%A3o-pol%C3%ADtica. Acesso em: 26 fev. 2021.

COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL (CETIC.BR). Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros : TIC domicílios 2018. [livro eletrônico] São Paulo: NIC.BR/CETIC.BR, 2019. Disponível em: https://www.cetic.br/publicacao/pesquisa-sobre-o-uso-das-tecnologias-de-informacao-e-comunicacao-nos-domicilios-brasileiros-tic-domicilios-2018/. Acesso em: 29 jan. 2021.

DELORS, J. et al. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, 1998. Disponível em: http://dhnet.org.br/dados/relatorios/a_pdf/r_unesco_educ_tesouro_descobrir.pdf. Acesso em: 26 fev. 2021.

ESCOLA, J.; GOMES, A.; LOPES, N. Ser no ciberespaço: a comunicação educativa na WEB 2.0. In: LIMA, V. A. O.; NASCIMENTO, R. N. A.; ESCOLA, J. J. J. (Org.). Conhecimento, sociabilidade e humanidade: prenúncios de um novo tempo. Campina Grande: EDUEPB, 2018.

FERREIRA, G. Conversa com António Nóvoa. Porto Alegre, 06 abr. 2020. Facebook: sindprofnh. Disponível em: https://www. facebook.com/sindprofnh/videos/631629681020563/. Acesso em: 13 jan. 2021.

GUEDES, A. F. Os desafios do conhecimento na era tecnológica. . In: LIMA, V. A. O.; NASCIMENTO, R. N. A.; ESCOLA, J. J. J. (Org.). Conhecimento, sociabilidade e humanidade: prenúncios de um novo tempo. Campina Grande: EDUEPB, 2018.

MERCADO, L. P. L. Formação continuada de professores e novas tecnologias. Maceió: EDUFAL, 1999.

MORAN, J. Educação híbrida: um conceito-chave para a educação. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 21. ed. Rio de Janeiro: Berthand Brasil, 2014.

MORIN, E. Os setes saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2002.

NASCIMENTO, R. N. A.; LIMA, V. O. Dimensões entrelaçadas do afeto e do saber: a educação de um novo tempo. In: LIMA, V. A.; NASCIMENTO, R. N. A.; ESCOLA, J. J. J. (Org.). Conhecimento, sociabilidade e humanidade. Campina Grande: EDUEPB, 2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). WHO Coronavirus (COVID-19) Dashboard. 2021. Disponível em: https://covid19.who.int/. Acesso em: 30 jan. 2021.

RAMOS, A. T.; RAMOS, E. S. Os desafios da família nos processos de socialização escolar. Pátio Revista Pedagógica, Porto Alegre, n. 52, ano XIII, p. 32-35., nov. 2009-jan. 2010.

REBÊLO, P. Inclusão digital: o que é e a quem se destina?. 2005. Disponível em: https://docplayer.com.br/8242708-Inclusao-digital-o-que-e-e-a-quem-se-destina.html. Acesso em: 10 jan. 2021.

SANTOS, G. S. Espaços de aprendizagem. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

SOARES, S. B. V. Coronavírus e a modernização conservadora da educação. In: SOARES, S. B. V. et al. Coronavírus, educação e luta de classes no Brasil. Brasil: Terra Sem Amos, 2020.

Publicado

2021-07-16

Como Citar

Lima de Arruda, R. (2021). Prefiro a escola: percepções de alunos e familiares sobre o ensino remoto. EmRede - Revista De Educação a Distância, 8(1). https://doi.org/10.53628/emrede.v8.1.737