APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA POR APLICATIVOS

Jéssica Rodrigues Esteves, Luis Otoni Meireles Ribeiro

Resumo


A popularização do uso de aplicativos para o ensino de línguas evidencia a necessidade de análise dos aspectos técnicos e interativos que permeiam os processos de ensino e aprendizagem. A partir de uma revisão bibliográfica sobre aprendizagem móvel, design nos contextos de ensino e aprendizagem e conceitos emergentes relativos ao uso de dispositivos móveis, foram determinados parâmetros para a análise comparativa de cinco aplicativos populares no ensino de inglês para iniciantes. A pesquisa visa contribuir para a valorização do design de interação em aplicativos para a aprendizagem móvel, discutindo acerca da relevância das microinterações na promoção de experiências de aprendizagem engajadoras.


Palavras-chave


Aprendizagem móvel; Aplicativos; Língua inglesa; Design de interação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, K. M. et al. Aprender e ensinar em tempos de cultura digital. EmRede - Revista de Educação a Distância, v. 1, n. 1, p. 152-168, 2014. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/16/28. Acesso em: 23 jan. 2019.

CYBIS, W., BETIOL, A. H., e FAUST, R. Ergonomia e usabilidade: conhecimentos métodos e aplicações. São Paulo: Novatec, 2010.

CLARK, J. Designing for Touch. In: The Mobile Book. Germany, Freiburg: Smashing Media GmbH, 2012. p. 289-334.

DREWS, R. Conheça 10 aplicativos gratuitos para aprender idiomas. Correio 24 horas, 29 mai. 2017. Disponível em: https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/conheca-10-aplicativos-gratuitos-para-aprender-idiomas/. Acesso em: 20 set. 2018.

HOOBER, S.; BERKMAN, E. Designing Mobile Interfaces: Patterns for Interaction Design. Sebastopol, CA: O'Reilly Media, Inc., 2013.

IBGE. Pesquisa nacional por amostra de domicílios: síntese de indicadores. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. 108p. Disponível em: https://goo.gl/3i9GtE. Acesso em: 18 mar. 2018.

JOBE, W. Native Apps vs. Mobile Web Apps. International Journal of Interactive Mobile Technologies 7, no. 4, 2013.

MARCOTTE, E. Responsive design. New York: A Book Apart, 2014.

MÜLBERT, A. L. A implementação de mídias em dispositivos móveis: um framework para a aplicação em larga escala e com sustentabilidade em educação à distância. 2014, 317 f. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

NUNES, L. L. S. T. et al. Educação em rede: tendências tecnológicas e pedagógicas na sociedade em rede. EmRede - Revista de Educação a Distância, v. 3, n. 2, p. 197-212, 2017. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/ article/view/116/134. Acesso em: 20 jan. 2019.

PEREIRA, A. T. C. Hipermídia: desafios da atualidade. Florianópolis: Pandion, 2009. cap. 8. p. 155-172.

PREECE, J.; ROGERS, Y.; SHARP, H. Design de interação: além da interação homem-computador. 3. ed. Porto Alegre, RS: Bookman, 2013.

SACCOL, A. et al. M-learning e U-learning: novas perspectivas da aprendizagem móvel e ubíqua. Kindle Edition. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2012.

SAFFER, D. Microinteractions: designing with details. Kindle Edition. Sebastopol, CA: O'Reilly Media, Inc., 2013.

TRAXLER, J. Current State of MobileLearning. In: ALLY, Mohamed (Org.). Mobile learning: Transforming the delivery of education and training. Athabasca University Press, 2009. cap.1.

UDEN, L. Activity theory for designing mobile learning. International Journal of Mobile Learning and Organisation, Inderscience Enterprises Ltd., v. 1, n. 1, p.81–102, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Jéssica Rodrigues Esteves, Luis Otoni Meireles Ribeiro

EmRede - Revista de Educação a Distância, Porto Alegre, RS, Brasil.

ISSN: 2359-6082

Classificação em Qualis Periódicos B4 (2019)
Indexação (consulte a seção Sobre)


Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional ((CC BY-NC-SA 4.0).