ENSINO HÍBRIDO NA LICENCIATURA EM QUÍMICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

  • Patrícia Ribeiro Mattar Damiance Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)
  • Fernanda Cenci Queiroz Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)
  • Gilcelene Bruzon Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)
  • Márcia Seródio Carbone Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)
  • Leandro Henrique Magalhães Centro Universitário Filadélfia - UniFil
  • Mary Leiva Faria Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)

Palavras-chave:

educação, ensino, ensino híbrido, licenciatura, química.

Resumo

O Ensino Híbrido propicia a inclusão de tecnologias digitais no processo educativo por meio da integração do ensino presencial e online. Este trabalho tem por objetivo compartilhar a experiência de construção e implementação do Ensino Híbrido em um curso de licenciatura em Química. Trata-se de um relato de experiência estruturado nas etapas que serviram de apoio ao planejamento e à avaliação desse tipo de ensino na educação superior. A proposta mostrou-se inovadora e foi bem aceita pela equipe diretiva, professores envolvidos e alunos. Dentre as lições aprendidas, tem-se que o Ensino Híbrido é capaz de otimizar as experiências de ensino-aprendizagem, a responsabilização do estudante pelo seu aprendizado e alcance de seu projeto de vida.

Biografia do Autor

Patrícia Ribeiro Mattar Damiance, Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)

Docente do curso de enfermagem e medicina do Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA). Membro da equipe multidisciplinar de Ensino Híbrido do IMESA/FEMA.

Fernanda Cenci Queiroz, Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)

Coordenadora do Curso de Enfermagem do Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis - Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA). Membro da equipe multidisciplinar de Ensino Híbrido do IMESA/FEMA.

Gilcelene Bruzon, Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)

Docente do curso de Química do Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA). Membro da equipe multidisciplinar de Ensino Híbrido do IMESA/FEMA.

Márcia Seródio Carbone, Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)

Docente do curso de Química do Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA).

Leandro Henrique Magalhães, Centro Universitário Filadélfia - UniFil

Docente e pesquisador do Centro Universitário Filadélfia - UniFil.

Mary Leiva Faria, Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA)

Coordenadora do curso de Química do Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis (IMESA/FEMA). Membro da equipe multidisciplinar de Ensino Híbrido do IMESA/FEMA.

Referências

ALMEIDA, D.M. Elaboração de materiais educativos. São Paulo: Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, 2017. Material/guia elaborado para a disciplina intitulada: Ações Educativas na Prática de Enfermagem.

ANASTASIOU, L.G.C.; ALVES, L.P. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 10 ed. Joinville: editora Univille, 2015.

ANDRADE, M. C. F.; SOUZA, P. R. Modelos de Rotação do Ensino Híbrido: Estações de Trabalho e Sala de Aula Invertida. E-Tech: Tecnologias para Competitividade Industrial, Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 3-16, 2016.

BASTOS, M. I. O Impacto das TIC´s na Educação: O desenvolvimento de competências em “TIC´s para a Educação” na formação de docentes na América Latina. Unesco, Brasília, abril, 2010.

BELLONI, M.L. Educação a distância. 7. ed. Campinas: Autores Associados, 2015.

BRASIL. Portaria nº 1.428, de 28 de dezembro de 2018. Dispõe sobre a oferta, por Instituições de Educação Superior - IES, de disciplinas na modalidade a distância em cursos de graduação presencial. Diário Oficial [do] União, Brasília, Distrito Federal, 31 dez. 2018. Seção I, p. 59. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/ visualiza/ index.jsp?data=31/12/2018&jornal=515&pagina=59. Acesso em: 18 ago. 2019.

CHRISTIANSEN, M. A. Inverted Teaching: applying a new pedagogy to a university organic Chemistry class. Journal of Chemical Education, v. 11, n. 91, p. 1845-1850, 2014.

COLE, J.; FOSTER, H. Using Moodle: Teaching with the Popular Open Source Course Management System. 2. ed. Estados Unidos: O´ReiLLY; 2008.

ELAY, J. B. Development and Implementation of a First-Semester Hybrid Organic Chemistry Course: Yielding Advantages for Educators and Students. Journal of Chemical Education, v. 3, n. 90, p. 303-307, 2013.

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO MUNICÍPIO DE ASSIS (FEMA). Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis (IMESA), campus José Santilli Sobrinho. Portaria nº 43, de 01 de outubro de 2018. Nomeia e constitui equipe multidisciplinar responsável pelo acompanhamento e aprovação do material didático produzido na modalidade E.A.D - Ensino à Distância. Assis: IMESA, 2018.

HORN, M. B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

JACON, L. S. C. et al. Os Formadores de Professores e o Desafio em Potencializar o Ensino de Conhecimentos Químicos com a Incorporação dos Dispositivos Móveis. Investigações em Ensino de Ciências, v. 19, n. 1, p. 77-89, 2014.

KAHOOT. What is kahoot? 2019. Disponível em: www.kahoot.com. Acesso em: 18 ago. 2019.

LIMA-JUNIOR, C. G. et al. Sala de Aula Invertida no Ensino de Química: Planejamento, Aplicação e Avaliação no Ensino Médio. Revista Debates em Ensino de Química, v. 3, n. 2, p. 119-145, 2017. Disponível em: <http://www.journals.ufrpe.br/index.php/ REDEQUIM/article/view/1787>. Acesso em: 18 ago. 2019.

MORAN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. 2013. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf. Acesso em: 18 ago. 2019.

REIN, K. S.; BROOKS, D. T. Student Response to a Partial Inversion of an Organic Chemistry Course for Non-Chemistry Majors. Journal of Chemical Education, v. 5, n. 95, p.797-802, 2015.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Conselho Estadual de Educação. Deliberação CEE N° 154/2017. Dispõe sobre alteração da Deliberação CEE nº 111/2012 (Diretrizes Curriculares Complementares para a Formação de Docentes para a Educação Básica nos Cursos de Graduação de Pedagogia, Normal Superior e Licenciaturas, oferecidos pelos estabelecimentos de ensino superior). Diário Oficial [do] Estado de São Paulo, São Paulo, 01 jun. 2017. Seção I, p. 36. Disponível em: http://iage.fclar.unesp.br/ceesp/cons_simples_listar.php?id_atos=72734&acao=entrar. Acesso em: 18 ago. 2019.

SEIXAS, C.A. et al. Ambiente virtual de aprendizagem: estruturação de roteiro para curso online. Rev. bras. enferm., Brasília, v. 65, n. 4, p. 660-666, ago. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v65n4/a16v65n4.pdf. Acesso em: 18 ago. 2019.

TEO, T. W. et al. How flip teaching supports undergraduate chemistry laboratory learning. Chemistry Education Research and Practice, v. 15, n. 4, p. 550-567, 2014.

VALENTE, J. A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba, n. 4, p. 79-97, maio. 2014.

Publicado

2019-10-22

Edição

Seção

Dossiê Ensino Híbrido ou Blended Learning