EaD, CURRÍCULO E HEGEMONIA: O NECESSÁRIO DEBATE

Autores

Palavras-chave:

Educação a Distância, Currículo, Hegemonia, Políticas Públicas

Resumo

Como resultado dos estudos do Grupo de Pesquisa de Educação a Distância e Tecnologias Educacionais (GPEaDTEC) da Universidade Estadual de Maringá  (UEM)   este texto, apresentado como ensaio teórico firmado sobre conceitos basilares e autores referenciais de currículo e EaD, tem como objetivo problematizar a Educação a Distância (EaD) na discussão curricular. Compreende-se a EaD como modalidade educacional crescente no Ensino Superior, e o currículo como um campo em disputa, em que existem aspectos fundamentais como hegemonia e conflito, na dialética relação entre a sociedade e as políticas públicas educacionais. Considera-se, nesse sentido, a necessidade do debate curricular com vistas à consolidação da EaD diante de um cenário educacional tão mercadológico para essa modalidade..

Biografia do Autor

Silvia Eliane de Oliveira Basso, Instituto Federal do Paraná - IFPR

Silvia Eliane de Oliveira Basso. Graduação em História (Unipar). Graduação em Pedagogia (UEM). Especialização em História do Mundo Contemporâneo (Unipar). Mestrado em Educação (UEM). Doutoranda em Educação (UEM). Professora no Instituto Federal do Paraná (IFPR). 

Renata Oliveira Santos, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Renata Oliveira Santos. Mestre em Ciências Sociais - Universidade Estadual de Maringá. Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá. Especialização em História e Sociedade. Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Educação - Universidade Estadual de maringá. Atualmente, Professora de Sociologia - Educação Básica. Professora de Ciências sociais e Áreas afins - Ensino Superior. Principais temas de interesses: Educação, Ensino de Sociologia, Políticas Públicas, Educação a Distância (EaD), Tecnologia, Comunicação.

Dayane Horwat Imbriani de Oliveira, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Dayane Horwat Imbriani de Oliveira. Graduação em Letras - Português/Inglês (FGU). Especialização em Metodologias e Técnicas de Ensino (UTFPR).  Especialização em História, Arte e Cultura. (UEPG). Mestranda em Educação (UEM). 

Patrícia Lakchmi Leite Mertzig, Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE)

Doutorado em Educação da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Mestrado em Educação (UEM). Especialização em Arte-Educação (SOET-2004). Graduação em Música com Habilitação em Licenciatura  (UEL). Docente do curso de Licenciatura em Música da Unoeste.

Maria Luisa Furlan Costa, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Maria Luisa Furlan Costa. Graduação em História (UEM). Mestrado em Educação (UEM). Doutorado em Educação (UNESP/Araraquara).  Professora associada da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Líder do Grupo de Pesquisa em Educação a Distância e Tecnologias Educacionais (GPEaDTEC).

Referências

ALONSO, K. M. Tecnologias da informação e comunicação e formação de professores: sobre rede e escolas. Educação e Sociedade. Campinas, vol. 29, n. 104 - Especial, p. 747-768, out. 2008. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 15 ago. 2018.

ALONSO, K. M.. A EaD no Brasil: sobre (des)caminhos em sua instauração. Educar em Revista. Curitiba, Brasil, Edição Especial n. 4, 2014, p. 37-52. Editora UFPR, 2014.

ALONSO, K. M. ov. A expansão do ensino superior no Brasil e a EaD: dinâmicas e lugares. Educação & Sociedade. Campinas, v. 31, n. 113, p. 1319-1335, out.-dez. 2010.

APPLE, M. W. Ideologia e Currículo. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BOBBIO, N. Ensaios sobre Gramsci e o conceito de sociedade civil. Trad. Marco Aurélio Nogueira e Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 06 nov. 2017.

COELHO, M. A. P.; DUTRA, L. R.; COELHO, R. P.; BRANDÃO, J. L. Conectivismo: uma teoria educacional para um novo modelo de aprendizagem. In: Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, 11., 2014. Belo Horizonte. Anais [...]. Belo Horizonte: UFMG, 2014. Disponível em: http://evidosol.textolivre.org/papers/2014/upload/7.pdf. Acesso em: 15 dez. 2019.

COSTA, M. L. F. Políticas Públicas para o Ensino Superior a Distância e a Implementação do Sistema Universidade Aberta do Brasil no Estado do Paraná. Tese (Doutorado em Educação Escolar) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, 2010. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/101568. Acesso em: 15 ago. 2019.

CHAVES, V. L. J. Expansão da privatização/mercantilização do ensino superior brasileiro: a formação de oligopólios. Educação & Sociedade, Campinas: CEDES, v. 31, n. 111, p. 481-500, abr./jun. 2010.

DIAS SOBRINHO, J. Democratização, qualidade e crise da educação superior: faces da exclusão e limites da inclusão Educação & Sociedade. Campinas, v. 31, n. 113, p. 1223-1245, out./ dez. 2010. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 15 ago. 2018.

DOURADO, L. F. Reforma do Estado e as políticas para a educação superior nos anos 90. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 235-253, set. 2002.

DOURADO, L. F. Políticas e gestão da educação superior a distância: novos marcos regulatórios? Educação & Sociedade. Campinas, v. 29, n. 104 esp., p. 891-917, out. 2008.

DOWNES, S. An introduction to connective knowledge. 2005. Disponível em: http://www.downes.ca/post/33034. Acesso em: 15 dez. 2019.

GONÇALVES, C. dos S. Discurso publicitário de IES privadas do estado do Paraná sobre EaD: um estudo a respeito das regularidades discursivas a partir das prerrogativas geradas pelas políticas públicas brasileiras para oferta e expansão da modalidade. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2019.

GONZÁLES ARROYO, M. Indagações sobre currículo: educandos e educadores: seus direitos e o currículo. Brasília, DF: Ministério da Educação Básica, 2007.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. v. 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

KENSKI, V. M.; MEDEIROS, R. A.; ORDÉAS, J. Ensino superior em tempos mediados pelas tecnologias digitais. Trabalho & Educação. v. 28, n. 1, p.141-152, jan./abr., 2019.

LÉVY, P. Cibercultura. Trad. Carlos Irineu Costa. São Paulo: Ed. 34, 1999.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez Editora, 2011.

MAYRINK, M. F.; BAPTISTA, L. M. T. R. Entrevista a Vani Moreira Kenski. Caracol, São Paulo, n. 13, jan./jun. 2017. Entrevista. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/123433. Acesso em: 10 jan. 2020.

MORAN, J. M. Ensino e aprendizagem inovadores com apoio de tecnologias. In: MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 23. ed. Campinas, SP: Papirus, 2013. p. 11-72.

PIMENTEL, F. S. C. Qual o titulo do verbete?. In: MILL, Daniel (org.). Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância. Campinas, SP: Papirus, 2018.

SGUISSARDI, V. Educação Superior no Brasil: Democratização ou Massificação Mercantil? Educação & Sociedade. Campinas, v. 36, n. 133, p. 867-889, out./dez., 2015.

TAVARES, Cristina Zukowsky. Educação universitária em tempos de cibercultura. Revista Educação. v. 199, 2015. Disponível em: http://www.revistaeducacao.com.br/ educacao-universitaria-em-tempos-de-cibercultura/. Acesso em: 10 jan. 2020.

Publicado

2020-05-15

Como Citar

Basso, S. E. de O., Santos, R. O., de Oliveira, D. H. I., Mertzig, P. L. L., & Costa, M. L. F. (2020). EaD, CURRÍCULO E HEGEMONIA: O NECESSÁRIO DEBATE. EmRede - Revista De Educação a Distância, 7(1), 225-241. Recuperado de https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/559