EaD E A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: PROCESSOS E BOAS PRÁTICAS

Autores

  • Dayane Horwat Imbriani de Oliveira Universidade Estadual de Maringá
  • Flávio Rodrigues de Oliveira Universidade Estadual de Maringá
  • Helen Camila Silva Boeing Universidade Estadual de Maringá
  • Silvia de Oliveira Basso Instituto Federal do Paraná - IFPR
  • Maria Luisa Furlan Costa Universidade Estadual de Maringá

Palavras-chave:

Educação a Distância. Políticas Públicas. Consolidação. Formação de Professores.

Resumo

Nesse artigo objetivamos delinear algumas reflexões sobre a formação continuada de professores, por meio e para o uso da modalidade à distância, uma vez que discorrer sobre as boas práticas aplicadas nesta modalidade de ensino com foco na qualidade perpassa a necessidade de debate sobre as políticas públicas de formação de professores instituídas nas últimas décadas do século XX e início do XXI. Assim, com base nas atribuições do Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica (PARFOR), bem como por meio de pesquisa bibliográfica e práticas reflexivas acerca de nossas experiências, descrevemos uma prática didática que assume a responsabilidade de contribuir com a consolidação da EaD em um cenário constituído por grandes desafios.

Biografia do Autor

Dayane Horwat Imbriani de Oliveira, Universidade Estadual de Maringá

Dayane Horwat Imbriani de Oliveira. Graduação em Letras - Português/Inglês (FGU). Especialização em Metodologias e Técnicas de Ensino (UTFPR).  Especialização em História, Arte e Cultura. (UEPG). Mestranda em Educação (UEM).

Flávio Rodrigues de Oliveira, Universidade Estadual de Maringá

Graduado em Filosofia e em História pela Universidade Estadual de Maringá. Mestre em Filosofia e Educação pela Universidade Estadual de Maringá. Doutorando em História pela Universidade Estadual de Maringá.

Helen Camila Silva Boeing, Universidade Estadual de Maringá

Mestre em Educação (UEM). Especialista em Educação a Distância (SENAC). Especialista em Gestão Educacional (Instituto Paranaense). Licenciada em Pedagogia (UEM). Coordenadora de Educação Profissional e Tecnológica do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial -SENAI Maringá.

Silvia de Oliveira Basso, Instituto Federal do Paraná - IFPR

Silvia Eliane de Oliveira Basso. Graduação em História ( Unipar). Graduação em Pedagogia (UEM). Especialização em História do Mundo Contemporâneo (Unipar). Mestrado em Educação (UEM). Doutoranda em Educação (UEM). Professora no Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Maria Luisa Furlan Costa, Universidade Estadual de Maringá

Graduação em História (UEM). Mestrado em Educação (UEM). Doutorado em Educação (UNESP/Araraquara).  Professora associada da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Líder do Grupo de Pesquisa em Educação a Distância e Tecnologias Educacionais (GPEaDTEC).

Referências

BRASIL. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, seção 1, p. 27933. Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/l9394.htm. Acesso em: 10 set. 2019.

BRASIL. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, seção 1, p. 27933. Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/l9394.htm. Acesso em: 10 set. 2019.

COSTA, M. L. F. Políticas Públicas para o Ensino Superior a Distância: a qualidade dos cursos de graduação em questão. In: AZEVEDO, Mário Luiz Neves de (org). Política Educacional Brasileira. Maringá: Eduem, 2010.

COSTA, M. L. F.; BASSO, S. E. de O.; OLIVEIRA, D. H. I. Tecnologias Educacionais e a Interação no processo ensino-aprendizagem. TICs & EaD em Foco. São Luís, v. 5, n. 1, jan./jun. (2019).

COSTA, M. L. F.; CABAU, N. C. F.; OLIVEIRA, D. H. I. Formação docente na perspectiva do uso de tecnologias educacionais: Compartilhando uma experiência. In: SIPERS - Paraná/ Ponta Grossa, 2019. Disponível em: https://www.doity.com.br/anais/sipers-/trabalho/91528. Acesso em: 07 de ago. de 2019.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

GUIETTI, S. A. A política de formação de professores do sistema Universidade Aberta do Brasil na perspectiva dos egressos da Universidade Estadual de Maringá. 253f. Tese (Doutorado em educação) – Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2019.

SCHLÜNZEN JUNIOR, K. A institucionalização da educação a distância no brasil: cenários e perspectivas. Rev. Teoria e Prática da Educação, v. 16, n. 1, p. 113-124, jan./abr. 2013.

SOUZA, A. R. B. de; SARTORIB, A. S.; ROESLERC, J. Mediação pedagógica na Educação a Distância: entre enunciados teóricos e práticas construídas. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 8, n. 24, p. 327 -339, maio/ago. 2008.

OLIVEIRA, S. A. G. de. A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA: LIMITES E POSSIBILIDADES DE INSERÇÃO E ASCENSÃO PROFISSIONAL. 159 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2014.

PEDROSA, S. M. P. de A. A educação a distância na formação continuada do professor.

Publicado

2020-05-15

Como Citar

de Oliveira, D. H. I., de Oliveira, F. R., Boeing, H. C. S., Basso, S. de O., & Costa, M. L. F. (2020). EaD E A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: PROCESSOS E BOAS PRÁTICAS. EmRede - Revista De Educação a Distância, 7(1), 194-205. Recuperado de https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/565