FLUÊNCIA TECNOLÓGICA DOS TUTORES NO MOODLE: POTENCIAL PARA PRÁTICA DIALÓGICO-PROBLEMATIZADORA

Autores

  • Daniele da Rocha Schneider Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Elena Maria Mallmann Universidade Federal de Santa Maria - UFSM
  • Sérgio Roberto Kieling Franco Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Palavras-chave:

Fluência tecnológica. Prática dialógico-problematizadora. Tutoria no Moodle.

Resumo

Investigamos a fluência tecnológica (habilidades contemporâneas, conceitos fundamentais e capacidades intelectuais) dos tutores na prática dialógico-problematizadora durante a realização de atividades de estudo no Moodle. Metodologicamente, desenvolvemos pesquisa-ação em cursos de capacitação de tutores realizando diagnósticos via questionários tipo survey. Analisamos os resultados à luz das categorias interatividade, interação, colaboração e monitoramento eletrônico. Concluímos que fluência tecnológica é essencial para o diálogo e problematização dos conteúdos curriculares no processo ensino-aprendizagem em ambientes virtuais em rede.

Biografia do Autor

Daniele da Rocha Schneider, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Doutoranda em Informática na Educação (PGIE/UFRGS). Possui graduação em Química Licenciatura pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2006), especialização em Educação Ambiental pela Universidade Federal de Santa Maria (2014) e mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (2012).

Referências

BABBIE, Earl. Métodos de Pesquisas de Survey. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001.

BRASIL. Decreto n. 5.622, de 19 de dezembro de 2005, regulamenta o Art. 80 da Lei 9394/96. Disponível em: . Acesso em: 10 Jan. 2013.

BRASIL, Ministério da Educação, Secretaria da Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio./ME/SEM. - Brasília: Ministério da Educação, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância. Referenciais de qualidade para educação superior a distância. 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seed/indexar?option=com_content&task=view&id=248&Itemid=426> Acesso em: 10 Jan. 2013.

COMMONWEALTH of Learning (col): Tutoria no EaD: Um manual para tutores. Canadá. 2003. http://www.abed.org.br/col/tutoriaead.pdf> Acesso: 10 dez 2012.

KAFAI, Y. et al. Being Fluent with Information Technology, 1999. Disponível em: <http://www.nap.edu/catalog/6482.html&gt>; Acesso em: 20 jan. 2015.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. 14. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

MALLMANN, Elena Maria. Mediação pedagógica em educação a distância: cartografia da performance docente no processo de elaboração de materiais didáticos. Tese de doutorado. Florianópolis: UFSC/PPGE, 2008. 304p.

PAPERT, Seymour; RESNICK, Mitchel. Technological Fluency and the Representation of Knoledge. Proposal to the National Science Foundation. MIT MediaLab, 1995.

MANSELL, Robin. TREMBLAY, Gaëtan. Renovando a visão das sociedades do conhecimento para a paz e o desenvolvimento sustentável [livro eletrônico]; [tradução Melissa Nicolosi e Gustavo Pugliesi Sachs].São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2015. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0023/002325/232575por.pdf>; Acesso em: 06 nov 2015.

SCHNEIDER, Daniele da Rocha. Prática Dialógico-Problematizadora dos Tutores na UAB/UFSM: Fluência Tecnológica no Moodle. Dissertação de mestrado, Santa Maria: UFSM/PPGE, 2012. 204p.

Publicado

2016-05-23