Tecnologias Assistivas no contexto da acessibilidade e mobilidade: possibilidades de inclusão digital de autistas na educação a distância

Autores

Palavras-chave:

Tecnologias Assistivas, Dispositivos móveis, Inclusão, Autismo, Educação a distância

Resumo

A popularização dos dispositivos móveis permite que novas configurações de ensino e aprendizagem se desenvolvam no cenário da mobilidade. No contexto da Educação a Distância (EaD), os recursos disponíveis nesses aparelhos, bem como os aplicativos desenvolvidos como tecnologia assistiva para autistas, podem ser potenciais emergentes para a inclusão de estudantes, promovendo acessibilidade em consonância com a perspectiva da educação inclusiva. Nessa concepção, este trabalho, que é uma versão expandida do estudo apresentado no ESUD 2019, possui abordagem qualitativa e caráter exploratório e tem por objetivo elencar aplicativos gratuitos para dispositivos móveis, que promovam acessibilidade e inclusão digital e educacional de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) na modalidade EaD.

Biografia do Autor

Lisiane Corrêa Gomes Silveira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense

Mestranda do curso de Pós-graduação em Educação e Tecnologia do Instituto Federal Sul-rio-grandense - IFSul. Membro do Grupo de Pesquisa - TEDCOM - Tecnologias Educacionais na Conectividade e Mobilidade. Especialista em Gráfica Digital pela UFPel (2012), possui graduação em Artes Visuais - modalidade Licenciatura pela mesma universidade (2008). Possui curso técnico em Programação Visual (2008) pelo IFSul. Trabalhou junto a Universidade Aberta do Brasil situada no Instituto Federal Sul-rio-grandense, atuando na criação e desenvolvimento de materiais didáticos para educação a distância. Pertenceu a Coordenadoria de Produção e Tecnologia Educacional (CPTE) do IFSul, desempenhando a função de gestora da Equipe de Design, sendo responsável pela supervisão e execução de materiais didáticos para educação a distância de programas da Universidade Aberta do Brasil e da Rede e-Tec Brasil. Atualmente é Programadora Visual do quadro efetivo do Instituto Federal Sul-rio-grandense, lotada na Coordenadoria de Comunicação Social do Gabinete do Reitor.

Jaison Marques Luiz, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense

Acadêmico do Programa de Mestrado Profissional em Educação e Tecnologia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (em andamento), Especialista em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade Dom Bosco (2019), Licenciado em Pedagogia pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (2018) e Técnico em Informática formado pela Escola Técnica Capacitar (2012). Pesquisador no Grupo de pesquisa TEDCOM - Tecnologias Educacionais na Conectividade e Mobilidade, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense. Pesquisador no Grupo de Pesquisa e Estudos Integrados à Educação: Linguagens e Letramentos, da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, seguindo a linha de pesquisa, Linguagens e letramentos nos espaços formais e não-formais integrados à educação. Pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Cognição e Aprendizagem, da Universidade Federal de Pelotas, seguindo a linha de pesquisa, A formação de professores para a diversidade na perspectiva da educação inclusiva.

Lisandra Xavier Guterres, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense

Mestranda em Educação com ênfase em Tecnologias Educacionais pelo Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul), Bacharela em Design Gráfico pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel, 2015). É Técnica em Design de Móveis (IFSul, 2012). Realizou iniciação a docência (2019) como professora da disciplina intitulada "Tópicos Especiais em Design III: Realidade virtual e aumentada) para os alunos do Bacharel em Design e da Licenciatura em Computação. Ministrou o projeto de ensino intitulado Realidade Aumentada para Designers (2019) no IFSUL. Possui experiência no mercado profissional desde 2013, atuando como artista 3D e designer gráfico e digital em agências de publicidade. Atualmente é membro do grupo de pesquisa Mediação Tecnológica na Educação, coordenado por Luis Otoni Meireles Ribeiro, no qual são desenvolvidos estudos referentes à mediação tecnológica na educação, abrangendo situações de aprendizagem nas modalidades presencial e a distância, no uso da robótica educacional, de simuladores e laboratórios móveis/virtuais no contexto da conectividade, mobilidade e ubiquidade, realidade aumentada, entre outros. Possui interesse em pesquisas sobre tecnologias aplicadas à educação, aprendizagem no contexto móvel e EaD.

Luís Fernando da Silva Mendes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense

Possui mestrado em Educação e Tecnologia pelo Instituto Federal Sul-rio-grandense - IFSul (2018), graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas (2012) e formação técnica em Desenho Industrial pelo IFSul (2002). Atuou junto ao Programa e-Tec Idiomas sem Fronteiras, no âmbito da Rede e-Tec Brasil/IFSUL, como Designer Educacional responsável pela equipe de Tecnologia da Informação. Foi bolsista (professor pesquisador) na equipe multidisciplinar da CPTE atuando como analista de sistemas e desenvolvedor de aplicações web. Responsável pelo planejamento e desenvolvimento do Catálogo de Cursos do IFSul (2012), sendo o primeiro sistema de gestão de documentos a publicizar e possibilitar o resgate histórico da organização curricular de cada curso desde o ano 2000. Criou o sistema de gerenciamento da produção de material didático (2014) para controle do fluxo dos processos de produção de materiais didáticos. Participou do desenvolvimento e implantação do sistema gerencial para bolsa formação do Sistema de Gestão de Bolsas do Ministério da Educação (2016). Tem experiência no planejamento e produção de materiais didáticos multimídia para Educação a Distância. Atualmente é gestor da equipe de TICs aplicadas à Educação na Coordenadoria de Produção de Tecnologias Educacionais (CPTE). Integra o Grupo de pesquisa TEDCOM - Tecnologias Educacionais na Conectividade e Mobilidade. Atua nas áreas de gerenciamento de projetos, desenvolvimento de sistemas e aplicações dinâmicas para internet voltados para a área da educação, gerenciamento e controle de processos, repositório de arquivos, modelagem e ergonomia de software, instalação e gerenciamento de ambientes virtuais de aprendizagem (LMS Moodle) e gerenciador de conteúdos (CMS Joomla).

Luis Otoni Meireles Ribeiro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense

Pós-doutor em Educação (UFSC), Doutor em Informática na Educação (UFRGS), Mestre em Tecnologia (UTFPR), Especialista em Educação Continuada e a Distância (UNB), Especialista em Controle de Processos (CEFET-MG). Profissional que atua na Educação Profissional de nível técnico e tecnológico desde 1988 no IFSul - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (antigo CEFET-RS). Chefiou e implantou o Departamento de Educação a Distância do IFSul. Integrou a equipe que auxiliou a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológia SETEC/MEC na elaboração do catálogo nacional de Cursos Superiores de Tecnologia e do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. Implantou e coordenou o Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes para a Educação Profissional no CEFET-RS. Participou da implantação do Núcleo de Educação a Distância do CEFET-RS, tendo atuado em diversas ações de capacitação de docentes pra EAD junto a UNIREDE, ADIFERS, MEC/SETEC. Atua como professor no Mestrado Profissional em Educação e Tecnologia do IFSul. É líder do Grupo de Pesquisa - TEDCOM - Tecnologias Educacionais na Conectividade e Mobilidade.

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION (APA). DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

ANDREIS, I.; RIGO, S. J. Educautism: Um sistema personalizável para o apoio à educação de crianças diagnosticadas com o transtorno do espectro autista. Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 16, n. 1, p. 1-10, jul. 2018. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/renote/article/view/85924. Acesso em: 28 ago. 2019.

APDIF. Aprendizagem Diferente. Disponível em: http://apdif.com/. Acesso em: 24 abr. 2019.

BERSCH, R. C. R. Introdução à Tecnologia Assistiva. Porto Alegre: Assistiva, 2017. Disponível em: http://www.assistiva.com.br/Introducao_Tecnologia_Assistiva.pdf. Acesso em: 24 abr. 2019.

BRASIL. Congresso Nacional. Constituição: República Federativa do Brasil. Brasília: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. IBGE: Censo 2010. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/. Acesso em: 26 ago. 2019.

BRASIL. Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3o do art. 98 da Lei n o 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 27 dez. 2012. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm. Acesso em: 28 ago. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União. Brasília, DF, 06 jul. 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 05 abr. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 28 ago. 2019.

BRASIL. Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Comitê de Ajudas Técnicas. Tecnologia Assistiva. Brasília: Corde, 2009.

BRITTO, T. C. P. et al. GAIA: uma proposta de guia de recomendações de acessibilidade web com foco em aspectos do autismo. 2016. 257 f. Dissertação (Mestrado – Programa de Pós-graduação em Ciência da Computação) – Centro de Ciências Exatas e Tecnologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8683. Acesso em: 07 nov. 2018.

CAMINHA, V. L.; ASSIS, J. H. L. M. de; ALVES, P. P. (Org.). Autismo: vivências e caminhos. São Paulo: Blucher, 2016.

CANDIDO, V. M. A. O "LIA": uma tecnologia assistiva no processo de construção de narrativas para alunos com autismo. 2018. 128f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação Profissional em Formação de Professores – PPGPFP) – Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande. Disponível em: http://tede.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/tede/3285. Acesso em: 28 ago. 2019.

CINTRA, R. G. G.; JESUINO, M. S.; PROENÇA, M. A. M. As possibilidades da EaD no processo de inclusão no ensino superior da pessoa com autismo: um estudo de caso. Revista de Educação, v. 14, n. 17, p. 1-86, maio 2015. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com/index.php/educ/article/view/1810/1719. Acesso em: 28 ago. 2019.

CORRÊA, Y.; VIEIRA, M. C.; SANTAROSA, L. M. C.; BIASUZ, M. C. V. Aplicativos de tradução para Libras e a busca pela validade social da Tecnologia Assistiva. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO – SBIE, 25., 2014, Dourados. Anais [...]. Dourados: SBC, 2014. Disponível em: https://br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/2942. Acesso em: 28 ago. 2019.

CORTELAZZO, I. B. C. Formação de professores para uma educação inclusiva mediada pelas tecnologias. In: OMOTE, S. (org.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura. Acadêmica, 2012, p. 93-120.

GASPARETTO, M. E. R. F. Tecnologias assistivas e práticas pedagógicas inclusivas: deficiência visual. In: OMOTE, S. (org.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura. Acadêmica, 2012, p. 159-183.

GIL, M. Educação inclusiva: o que o professor tem a ver com isso? São Paulo: Ashoka Brasil, 2005.

KENSKI, V. M. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. 8. ed. Campinas: Papirus, 2012.

LIMA, C. R. U. Acessibilidade tecnológica e pedagógica na apropriação das tecnologias de informação e comunicação por pessoas com necessidades educacionais especiais. 2003. 186f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/3709/000391527.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 28 ago. 2019.

MUGNOL, M. A educação a distância no Brasil: conceitos e fundamentos. Revista Diálogo Educacional, v. 9, n. 27, p. 335-349, jul. 2009. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/ dialogoeducacional/article/view/3589/3505. Acesso em: 28 ago. 2019.

PASTORELLO, L. M. Perspectiva do estudo da Linguagem no Autismo. In: ASSUMPÇÃO JUNIOR, F. B.; KUCZYNSKI, E. Autismo Infantil: Novas tendências e perspectivas. São Paulo: Atheneu, 2007, p. 131-155.

ROPOLI, E. A.; MANTOAN, M. T. E.; SANTOS, M. T. C. T.; MACHADO, R. A Educação Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar: a escola comum inclusiva. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial; Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2010.

ROSA, V. I. Design inclusivo: processo de desenvolvimento de prancha de comunicação alternativa e aumentativa para crianças com transtorno do espectro do autismo utilizando realidade aumentada. 2018. 213f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Design), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/174392. Acesso em: 28 ago. 2018.

SILVA, J.; BRAGA, J. C.; DAMACENO, R. Estudo de Aplicativos Móveis para Deficientes Visuais no Âmbito Acadêmico. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO – SBIE,26. , 2015, Maceió. Anais [...]. Maceió: SBC, 2015. Disponível em: https://br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/5348/3711. Acesso em: 28 ago. 2019.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação. 4. ed. Florianópolis: UFSC, 2005.

VIEIRA, M.; CONFORTO, D. Aprendizagem Móvel e Multimídia: a produção de material pedagógico na perspectiva BYOD. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 26, 2015, Maceió. Anais [...]. Maceió: SBC, 2015. Disponível em: https://www.br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/4996/3406. Acesso em: 27 ago. 2019.

Publicado

2020-11-06

Como Citar

Silveira, L. C. G., Luiz, J. M., Guterres, L. X., Mendes, L. F. da S., & Ribeiro, L. O. M. (2020). Tecnologias Assistivas no contexto da acessibilidade e mobilidade: possibilidades de inclusão digital de autistas na educação a distância. EmRede - Revista De Educação a Distância, 7(2), 61-73. Recuperado de https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/539